Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Na semana passada postamos um vídeo que fala de alguns programas que a IBM oferece para capacitar profissionais com perfil de liderança. A gestão de talentos tem sido um tema cada vez mais debatido não somente nos círculos de RH, mas entre os gestores dos mais diversos departamentos. Identificar, desenvolver, incentivar e reter talentos se tornou um desafio para qualquer empresa. E a rapidez com a qual as organizações iniciam e finalizam seus processos de contratação repercute diretamente na produtividade dos negócios.

O uso das redes sociais e dispositivos móveis tem trazido mudanças sem precedentes em praticamente todos aspectos da vida pessoal e, cada vez mais, profissional. Mas será que as empresas estão levando em consideração essas novas e importantes fontes de informação em suas práticas de RH?
Muito tem se falado sobre como a análise de dados e outras tecnologias emergentes, como social business, podem ajudar as companhias a obter informações estratégicas sobre o perfil de seus clientes e outros tipos de benefícios, mas pouca discussão tem sido dedicada para mostrar como estas mesmas tecnologias podem ajudar as organizações a vencer a guerra por talentos.
É possível utilizar tecnologias já disponíveis na empresa, como análise de dados, social business e mobilidade, para cultivar times de profissionais mais criativos e contribuir com a criação de uma inteligência coletiva. Além disso, iniciativas simples, como o uso de mídias sociais como LinkedIn e Twitter para apoiar um processo de recrutamento externo – algo que a maioria das empresas globais já faz – podem ajudar os profissionais de recrutamento a informar e interagir com potenciais candidatos de qualquer lugar do mundo e divulgar vagas abertas.
Já com o uso de softwares e serviços de Big Data e Analytics, por exemplo, uma equipe de RH e a liderança da empresa podem ter uma visão em tempo real de milhares de dados referentes ao perfil de seus funcionários. Com isso, conseguem melhor avaliar e extrair informações valiosas para antecipar possíveis problemas de clima organizacional, como o crescimento do descontentamento de funcionários em uma certa filial ou desgastes que poderiam resultar na perda de alguns membros críticos da equipe.
As empresas já estão repensando sua maneira de contratar, atrair e treinar talentos e a tecnologia pode ser uma grande aliada nesse processo. O resultado será uma companhia que gera valor para seus funcionários, motiva seus times para fazerem a diferença e capacita-os  com as ferramentas necessárias para que ofereçam o seu melhor, criando uma força de trabalho mais inteligente.

Artigos Relacionados

10 ago
A bola de cristal que desvenda o consumidor
Geral // 1

*Por Maria Fernanda Espinosa e Mariana Lemos A velha e boa bola de cristal só existe em ficções, mas já existe uma forma bem mais inteligente que o “feeling” para entender o que querem nossos consumidores e onde devemos investir. Estamos falando do Big Data que, se bem operado, como num passe de mágica revela interesses, desejos e projeções

16 ago
Computação social
Geral // 0

A computação está presente no nosso dia a dia e, muitas vezes, quase 24 horas por dia, quando recebemos atualizações das nossas redes por meio do celular. Milhões de dados, que muitas vezes podem ser relevantes para diversos públicos, são gerados a cada segundo. É a Computação Social presente, cada vez mais, na vida do cidadão. Pensando nisso,

01 out
CMOs: A jornada do consumidor é o que interessa
Geral // 0

*Por Maria Fernanda Espinosa Foto reprodução A maioria das pessoas deve conhecer Star Trek. As aventuras interestelares do Capitão James T. Kirk e sua tripulação dentro da nave espacial da Federação Unida dos Planetas, a USS Enterprise, foram sucesso e não deixam de ser lembradas quando falamos em jornada. No mundo digital também temos a

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por