Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Na semana passada postamos um vídeo que fala de alguns programas que a IBM oferece para capacitar profissionais com perfil de liderança. A gestão de talentos tem sido um tema cada vez mais debatido não somente nos círculos de RH, mas entre os gestores dos mais diversos departamentos. Identificar, desenvolver, incentivar e reter talentos se tornou um desafio para qualquer empresa. E a rapidez com a qual as organizações iniciam e finalizam seus processos de contratação repercute diretamente na produtividade dos negócios.

O uso das redes sociais e dispositivos móveis tem trazido mudanças sem precedentes em praticamente todos aspectos da vida pessoal e, cada vez mais, profissional. Mas será que as empresas estão levando em consideração essas novas e importantes fontes de informação em suas práticas de RH?
Muito tem se falado sobre como a análise de dados e outras tecnologias emergentes, como social business, podem ajudar as companhias a obter informações estratégicas sobre o perfil de seus clientes e outros tipos de benefícios, mas pouca discussão tem sido dedicada para mostrar como estas mesmas tecnologias podem ajudar as organizações a vencer a guerra por talentos.
É possível utilizar tecnologias já disponíveis na empresa, como análise de dados, social business e mobilidade, para cultivar times de profissionais mais criativos e contribuir com a criação de uma inteligência coletiva. Além disso, iniciativas simples, como o uso de mídias sociais como LinkedIn e Twitter para apoiar um processo de recrutamento externo – algo que a maioria das empresas globais já faz – podem ajudar os profissionais de recrutamento a informar e interagir com potenciais candidatos de qualquer lugar do mundo e divulgar vagas abertas.
Já com o uso de softwares e serviços de Big Data e Analytics, por exemplo, uma equipe de RH e a liderança da empresa podem ter uma visão em tempo real de milhares de dados referentes ao perfil de seus funcionários. Com isso, conseguem melhor avaliar e extrair informações valiosas para antecipar possíveis problemas de clima organizacional, como o crescimento do descontentamento de funcionários em uma certa filial ou desgastes que poderiam resultar na perda de alguns membros críticos da equipe.
As empresas já estão repensando sua maneira de contratar, atrair e treinar talentos e a tecnologia pode ser uma grande aliada nesse processo. O resultado será uma companhia que gera valor para seus funcionários, motiva seus times para fazerem a diferença e capacita-os  com as ferramentas necessárias para que ofereçam o seu melhor, criando uma força de trabalho mais inteligente.

Artigos Relacionados

23 jun
O que a máquina de batata chips tem a ver com blockchain?
Geral // 0

 *Por Bruno Favery, Maria Fernanda Espinosa e Kelly Bassi   Que o blockchain ainda é um mistério a ser desvendado pelo mercado, isso com certeza é. Antes achávamos que se tratava de, traduzindo ao pé da letra, uma cadeia em blocos focada em troca de valor financeiros. Hoje, durante palestra do CIAB, descobrimos que não

16 jun
E agora? O cliente do banco é digital
Geral // 0

A partir de hoje (16/6) até quinta-feira (18/6), toda indústria bancária estará reunida no Ciab FEBRABAN, o maior evento de tecnologia do país voltado para instituições financeiras. Na comemoração de 25 anos, a edição traz como um dos temas centrais a atuação dos bancos na era digital. Executivos da IBM, do mundo todo, estarão presentes

12 nov
IBM Corporate Service Corps: Colaboração para o desenvolvimento social e de futuros líderes
Geral // 0

  A IBM acredita fortemente que por meio de sua força de trabalho é possível colaborar com o processo de crescimento e desenvolvimento social em cada cidade dos países emergentes onde atua. Desde 2008, o programa global IBM Corporate Service Corps já contribuiu para a melhoria da gestão de questões críticas da sociedade, como desenvolvimento

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por