Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

 

A IBM acredita fortemente que por meio de sua força de trabalho é possível colaborar com o processo de crescimento e desenvolvimento social em cada cidade dos países emergentes onde atua.

Desde 2008, o programa global IBM Corporate Service Corps já contribuiu para a melhoria da gestão de questões críticas da sociedade, como desenvolvimento econômico, cidadania, educação e cultura, saúde e sustentabilidade.

Os times de profissionais de diferentes parte do mundo se reúnem para trabalhar em projetos de empresas, ONGs ou órgãos públicos, estudando o cenário local para propor melhorias que possam contribuir com o processo de crescimento e desenvolvimento de cada cidade contemplada. Os participantes ficam envolvidos por cerca de três meses no projeto, sendo um deles in loco. O projeto também colabora com a formação de líderes com uma visão globalizada e contribui para a melhoria da gestão de questões críticas da sociedade, como desenvolvimento econômico, cidadania, educação e cultura, saúde e sustentabilidade.

Cada profissional que participa do CSC volta com uma ampla experiência de vida, pois aprende com a diversidade cultural (já que trabalham com times de países distintos) e com organizações que enfrentam desafios para gerir e executar  projetos com poucos recursos, mas que significam muito para as comunidades locais.

Mais de 200 colaboradores estrangeiros de mais de 25 países já trabalharam em aproximadamente 60 ONGs brasileiras. E 143 funcionários da IBM Brasil já atuaram em ONGs estrangeiras em países como África do Sul, Gana, China e Vietnã.
Dois profissionais da IBM Brasil comentam as experiências que tiveram este ano. Flávio Mendes, líder de social business que foi para a China, e Mauro Bellotti, profissional da área de serviços de outsourcing que foi para a Etiópia.
Flávio (de camisa preta à direita da imagem) foi para Yin Chuan, na China

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Em agosto de 2013 participei do IBM CSC 21, na cidade de Yin Chuan, na China. Durante 30 dias vivemos, trabalhamos e compartilhamos conhecimento e experiências de forma única. Neste projeto, IBMistas de 7 países juntaram-se com o objetivo de apoiar empresas e organizações locais em seu processo de desenvolvimento. Foi algo realmente especial ao permitir crescimento pessoal e profissional para os IBMistas, as empresas envolvidas no projeto, bem como entidades locais. Conhecer os objetivos e desafios, bem como trabalhar com profissionais de uma cultura diferente daquela com a qual estamos acostumados foi um enorme desafio e viabilizou um grande amadurecimento. A experiência fez com que eu tenha uma visão mais ampla e flexível e, seguramente, agregou valor para para mim e para a IBM”, Flávio Mendes. 


Mauro (atrás do rapaz de camisa vinho) junto à comunidade e em projeto com membros de ministérios do país
 “Fui para o IBM CSC na Etiópia, um país que está passando por grandes reestruturações urbanas. Enfrentamos problemas de infraestrutura, logística e alimentação. Culturas e realidades muito diferentes das nossas. Mas foi muito enriquecedor. Colaboramos muito junto aos próprios ministérios da Tecnologia, Comunicação e Agências Regulatórias de mercados locais. O mais interessante foi sair do país sabendo que as recomendações que fizemos já tiveram impacto direto nos planos de desenvolvimento do Estado e trarão benefícios concretos para a população, que ainda passa por dificuldades econômicas e sociais. Foi uma experiência única e voltei feliz por sentir que fiz diferença na vida de outras pessoas”, Mauro Bellotti.

Artigos Relacionados

22 jan
Um mercado para todos
Geral // 0

Por Eric Bragion* O mercado financeiro recentemente voltou seus olhos ao maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, a China. Em setembro de 2014, o grupo Alibaba registrou o maior IPO da história, com US$ 25 bilhões. Esse índice é retrato de como o comércio eletrônico, e por consequência a globalização,

13 abr
Watson agora também é assistente de casamentos!
Geral // 0

*Texto por Kelly Bassi e vídeo por Rafaella Bonogli Bruno – Quem já organizou uma festa de casamento sabe que não é uma tarefa para os fracos. Quem não casou e planeja uma festa, prepare-se! É um clima de tensão total, mas que vale a pena, na minha singela opinião. Além da ansiedade para saber

23 set
A Big Blue deixou o BYOD seguro com solução que monitora apps
Geral // 0

*Por Maria Fernanda Espinosa Não é de hoje que o assunto BYOD preocupa companhias em todo o mundo. Explico. BYOD é a sigla que representa o termo ‘bring your own device’, ou, em português: traga/use seu próprio dispositivo. Estamos falando da prática de se utilizar dispositivos móveis pessoais – como celulares, tablets e computadores – para fins de trabalho. Isso

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por