Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

No passado, redes sociais eram utilizadas, principalmente, por jovens e adolescentes e o uso dessas ferramentas era proibido no ambiente de trabalho. Mas hoje a situação é totalmente diferente.

Empresas, executivos, pessoas de terceira idade, adultos e jovens… Estão todos “conectados” em diferentes lugares, mas com uma ação incomum: expressando a opinião.
Hoje em dia você não precisa mais entrar na sua rede escondido do chefe, pelo contrário, as vezes trocam até mensagens por lá. As redes se tornaram ferramentas valiosas para diferentes públicos. Para as empresas, por exemplo, é possível fazer campanhas de marketing, analisar a opinião do cliente sobre determinada ação, o sucesso ou o fracasso de um produto, o que estão falando da sua companhia, o que gostariam que ela oferecesse. Enfim, muitas informações obtidas pela análise de dados, como foi o caso do Ei!.
Para os usuários: agora, além de registrar os momentos da sua vida e compartilhar opiniões, você pode falar e ser ouvido. Atualmente, muitas companhias possuem equipes ou empresas terceirizadas somente para avaliar o que é dito sobre elas nas redes sociais.
Recrutamento: se você está na rede, não tem como fugir. Claro que os avaliadores não chegarão a uma conclusão da sua personalidade e habilidades apenas por uma análise nesse meio. Mas eles podem utilizar o LinkedIn para avaliar os grupos que você participa, por exemplo. Como você escreve, se há muitos erros gramaticais, entre outros. Nada que impeça você de colocar uma foto da festa do final de semana. Afinal, todos têm uma vida social. Mas é importante saber que as empresas também estão “de olho”.
O fato é: não estamos mais presos por e-mails e telefones. Estamos conectados em uma rede e podemos ser “ouvidos” em todo o mundo.

Artigos Relacionados

17 nov
Perigo! Hacker demonstra – em tempo real – uma invasão em dispositivo móvel
Geral // 0

*Por Maria Fernanda Espinosa e Mariana Lemos No filme “Psicose”, de Alfred Hitchcock, o perigo está por perto e o medo é um constante estado de alerta. Hoje, os tipos de ataques e perigos que nos rondam são um pouco mais variados como, por exemplo, os ataques cibernéticos. Dito isso, vamos imaginar… Qual é o prejuízo

13 mar
Será o fim da falta de bateria em um mundo super conectado?
Geral // 0

Você já ouviu falar de nomofobia? Trata-se do medo de ficar sem o aparelho de celular. Termo recente, essa dependência se deve principalmente às inúmeras funcionalidades que o equipamento traz a seu usuário. E, para não “deixá-lo na mão”, ou melhor, sem bateria, a indústria criou um carregador portátil que garante mais alguns minutos de

23 jun
O futuro da programação
Geral // 0

Diferente de algumas áreas que estão perdendo o espaço em um mercado cada vez mais digital, os desenvolvedores possuem uma grande vantagem: conhecem como funciona toda lógica por trás de todo e qualquer sistema que usamos no dia-a-dia. É com eles e por causa deles que tudo em nossa volta funciona, seja no acesso aos apps do nosso

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por