Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

tumblr_nnkmdkx8ZT1s141c3o2_r1_500Será que um dia o homem vai ser tão íntimo de uma máquina como o Theodore é de sua “Samantha” no filme Her (Ela, no Brasil)? Para o cientista chefe da IBM Brasil, Fabio Gandour, “melhor que não seja”.  Assisti o filme na semana passada com ele e a repórter do IG, Emily Nunes, que fez uma matéria excelente a respeito dessa relação “homem-máquina”. Vale muito à pena ler.

A primeira pergunta que faço ao sair do cinema é “Esse é o futuro do Watson”? Pra quem não sabe, o Watson é um sistema desenvolvido pela IBM e que reúne hardware e software e que inaugura a era da computação cognitiva. Ele é treinado para aprender com o ser humano, já venceu o Jeopardy, programa americano de perguntas e respostas, vem ajudando médicos a definirem o melhor tratamento para seus pacientes (inclusive para o câncer) e recentemente viajou para a Africa pra ajudar a resolver problemas sociais e econômicos do continente com mais rapidez e assertividade.
No filme, o escritor Theodore se apaixona pelo seu sistema operacional antropomorfizado (com características humanas), Samantha, e tem com ela uma vida muito parecida com a que teria com uma namorada real. Ela não tem um corpo, mas suspira, fala e pensa como uma mulher, dá opiniões, viaja de férias com ele… e até sabe fazer chantagem emocional! A proximidade de um ser humano é tanta que o escritor rapidamente deposita nessa voz todas as fichas para driblar sua solidão e carência afetiva.
O filme se passa no futuro (talvez não tão longe assim) e é possível que um dia todos nós tenhamos uma Samantha pra nós. O Watson é o mais próximo dessa realidade que temos hoje e está em constante evolução, aprende coisas novas a todo segundo, e certamente vai ser cada vez mais próximo do homem. Nesta entrevista em vídeo à Isto é Dinheiro, Gandour explica de uma forma bem didática o que é esse tal de Watson.
Aliás, esse ano ele se transformou numa unidade de negócios da IBM, ou seja, em breve será parte do time de empresas, hospitais, universidades, governos… trabalhando para ajudá-los a encontrar a resposta certa para um tratamento médico, ou mesmo sugerindo um investimento mais rentável para um investidor.
Watson pode ser um milhão de coisas com sua capacidade de transformar dados em conhecimento numa questão de segundos. Eu, sinceramente, estou ansiosa para ver o Watson ser uma Samantha, mas não para me apaixonar,  e sim para ver esse poderoso sistema trabalhando a favor de cidades e um planeta mais inteligente. Que esse dia chegue logo!

Artigos Relacionados

05 abr
Na era cognitiva, dados geram mais saúde
Watson // 3

Especial Computação Cognitiva *Texto por Kelly Bassi e vídeo por Rafaella Bonogli Bruno – “Olá, senhor. Pode se sentar. O doutor já te chama”. Imagine a seguinte cena:  você está na sala de estar de um consultório médico, aguardando uma consulta. A secretária diz: “Pode entrar senhor”. Ao chegar no consultório, você e o médico

06 abr
O mistério acabou: respondemos as três maiores dúvidas sobre o Watson
Watson // 6

Especial Computação Cognitiva *Por Kelly Bassi – Para fechar nosso especial sobre computação cognitiva com chave de ouro, levantamos com o time de Watson no Brasil quais são as principais perguntas que surgem sobre a plataforma cognitiva da IBM. Descobrimos que existem três grandes dúvidas que ainda vêm à cabeça das pessoas quando falamos em

31 mar
Terapia com robôs
Watson // 0

O que a computação cognitiva pode fazer por um ser humano está ficando cada vez mais claro, ufa!  Um sistema cognitivo ajuda pessoas a tomarem melhores decisões, oras! Das mais simples até as mais complexas. Isso porque ele amplia a capacidade cognitiva dos seres humanos, ou seja, seu conhecimento. Quer um exemplo? O Watson já pode

Comentários

Diogo Maciel Malvezzi
1 de março de 2014

Olá, tudo bem?
Existe um erro no final do segundo paragrafo (…RAPIZE e assertividade), seria rapidez e assertividade?
Espero que tenha ajudado.
Até mais

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por