Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Apesar de muitos boatos ao longos dos anos anunciarem sua morte, o mainframe provou sua força e energia ao chegar aos 50 anos, se reinventando constantemente para revolucionar os negócios das empresas  pelo mundo afora. Presente na primeira ida do homem à Lua, o sistema com alta capacidade de processamento continua se transformando ano a ano e hoje é considerado um dos mais seguros do mundo.

A base de Mainframe é a maior que a base de todas as outras tecnologias somadas! A IBM conquista entre 40 e 60 novos clientes por ano no mundo e no Brasil a plataforma é a base da tecnologia de praticamente todos os grandes bancos e empresas de vários segmentos.
Para que você tenha uma noção da importância do mainframe nos dias atuais, praticamente toda transação com cartão de crédito passa por um Mainframe. Levando em consideração que, segundo levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), para este ano a projeção é de que sejam feitas cerca de 5 bilhões de transações com cartões de crédito no Brasil, uma movimentação de R$ 619 milhões. Isso mostra o quanto o sistema ainda está presente no nosso cotidiano.
Para ver a linha do tempo completa, clique aqui.

A festa do Mainframe, em Nova York

 Durante evento realizado em Nova York essa semana, a IBM mostrou que não parará por aí e que o Mainframe está totalmente preparado para a era de Cloud, Big Data, Social e Mobilidade. Foram anunciadas duas novas tecnologias para o sistema: a primeira é baseada em cloud computing e ajudará os provedores de serviços a reduzir o custo das operações e a disponibilizar serviços confiáveis na nuvem. Um dos diferenciais é o modelo de precificação, feito através do Banco IBM, que prevê o pagamento sob demanda, tornando o Mainframe mais acessível aos provedores de serviços gerenciados. Outra solução lançada durante o evento foi a plataforma que tem como foco promover o rápido desenvolvimento e implementação de aplicações móveis e a integração completa destes aplicativos com os processos de negócios e dados.

E olha o Brasil se destacando: Deborah Mesquita, da Universidade Federal de Pernambuco e Oberlan Romão da Universidade de São Paulo ficaram entre os 40 finalistas, dos 20 mil inscritos, do Concurso “Master of Mainframe”. Deborah trabalhou um mês em um projeto para desenvolver uma interface de usuário e Oberlan criou um app web para bancos, usando ferramentas de mainframe e DB2.

O futuro do Mainframe 

O mainframe será relevante para a 3ª geração da computação?
SIM! O Mainframe é uma das únicas tecnologias preparadas para o futuro da TI, ele analisa a informação e  interage com os dados em todos e diferentes tipos de indústria, trazendo mais transformação e progresso para mercados e sociedade. Os próximos 50 anos serão ainda mais animados. O Mainframe é a tecnologia de ponta para receber cloud, social, analytics e mobile.

Com este histórico, vemos que o mainframe completa 50 anos com energia para viver por muitas e muitas décadas e, quem sabe, séculos?

Mainframe na Imprensa:

IBM busca rejuvenescer o mainframe – Valor Econômico
Produção é quase artesanal, como de um artigo de luxo – Valor Econômico
Cinquentão, mainframe da IBM celebra seu aniversário em Nova Iorque – Computerworld

Artigos Relacionados

27 ago
Na era do profissional multifunção: seu diploma limita ou alavanca?
Geral // 0

*por Mariana Lemos Pensando no tema ‘transição de carreira’, fomos em busca de algumas pessoas da IBM que pudessem compartilhar suas experiências com o TI+Simples. Encontramos, de cara, Fábio Gandour –  um médico que se rendeu aos encantos da tecnologia e virou cientista chefe do laboratório de pesquisa da empresa no Brasil – e Renato

11 set
Esporte feito com dados. Música feita com Esporte!
Geral // 0

  Este ano, durante o quarto e último torneio do Grand Slam da temporada de tênis e o maior evento anual de esporte do mundo, o US Open, a IBM aplicou toda a sua expertise em análise de dados, social business, cloud computing e mobilidade em uma parceria com a Associação de Tênis dos Estados Unidos, USTA, com o

09 out
Como a inteligência artificial está mudando o mercado da música
Geral // 0

Sempre fui uma pessoa de gosto musical bem eclético. Vou e volto nos estilos como vou e volto do trabalho. Alguns clássicos sempre ficam no meu celular – Bob Marley, Red Hot, Mos Def – mas às vezes tenho “fases” bem definidas, pego um artista e fico dias estagnada nele até quase enjoar. A fase que

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por