Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Ser um empresa inovadora não é mais um diferencial. Para estar no campo competitivo é essencial ter a inovação como norte.  Agora, não é quem inova que está a frente, mas quem inova MAIS.  E os consumidores só têm a ganhar: quanto mais as empresas inovam, melhores são os serviços e os produtos entregues a eles. E é importante dizer que inovação não é simplesmente inventar algo novo. A criação de determinado produto ou serviço deve estar atrelada a um modelo de negócio que precisa ser colocado em prática.
A IBM tem um longo histórico de inovação em seus 103 anos de vida. Recentemente ela foi classificada na pesquisa da revista INFO Exame, feita em parceria com a ESPM,  como a empresa de TI mais inovadora do país!*Conversamos com o CTO (Chief Technology Officer) da IBM Brasil, Hassan Zamat. O executivo é responsável  por liderar a agenda de inovação da IBM no país, definir as estratégias de acordo com a missão global de negócios da IBM, fornecer orientação científica para clientes, parceiros , universidades e  comunidade técnica.

TI+Simples: O que torna uma empresa inovadora? E quais são os maiores desafios para  deter esse ”título”?
Hassan: Ser uma organização com atitude e compromisso, desde seus investimentos até o treinamento dos seus funcionários. Confiança e coragem também são pré-requisitos e os maiores desafios. É preciso estar disposto a criar oportunidades que possam trazer algo que modifique de verdade. E, sem dúvida, é preciso estar disposto a tentar e falhar.
 TI+Simples: Qual a maior inovação feita pela IBM?
Hassan: Acredito que a maior inovação da IBM é a DRAM – (Dynamic Random Access Memory), que é o tipo mais comum de memória RAM utilizada em computadores e dispositivos ate hoje. Ela alimentou a era do computador, mudando nossas vidas para sempre. Eu realmente não conheço muitas pessoas que possam viver sem essa tecnologia atualmente.
 TI+Simples: E sobre o futuro, qual seria a tecnologia mais disruptiva para os próximos 50 anos?
Hassan: Acredito que conceito de “medicina personalizada”, com base nas toneladas de dados que temos disponíveis, será a tecnologia mais inovadora para as próximas décadas, pois o homem tende a se preocupar com a sua saúde em primeiro lugar. Os médicos, com auxílio da computação cognitiva serão capazes de determinar a composição ideal de um medicamento para a pessoa com base no seu DNA. Isso está na raiz do projeto Watson Healthcare. A capacidade de aprendizagem da máquina permite que  ela possa analisar e prescrever o melhor tratamento para cada paciente. O Watson é apenas a infância dessa nova era da computação cognitiva que irá revolucionar o cuidado com a saúde e torná-lo mais pessoal.
TI+Simples: Como o Brasil está posicionado globalmente nessa área?
Hassan: Em 2013, o Brasil obteve 36,2 pontos no  Índice Global de Inovação (GII), e está no meio da estrada, entre os principiantes e os que possuem a melhor performance. Para ser considerado líder, o score precisa ser maior que 50. No entanto, se olharmos para setores mais específicos, como o de TI, o Brasil possui um crescimento mais intenso. Para aumentar a pontuação geral, ele deve abraçar mudanças, alavancando a tecnologia para compensar o aumento do custo de vida. Além disso, o Brasil conta com um sistema um pouco burocrático e isso acaba tornando o processo de inovação mais lento.
TI+Simples: Quando falamos em inovação,  de imediato pensamos em produtos, laboratórios… Na IBM, como a cultura de inovação é criada, para que a empresa seja inovadora como um todo e não só em áreas específicas?
Hassan: A chave para isso é a formação da atitude e o compromisso até o mais alto nível da empresa. A IBM investe cerca de US$ 6 bilhões por ano em Pesquisa e Desenvolvimento, que se transformam em produtos ou até mesmo impulsionadas por outras instituições. Invenções utilizadas para resolver os problemas mais difíceis são fortemente encorajadas pela IBM. Por exemplo, nós temos feito um trabalho em sistemas de distribuição de medicamentos e dessalinização da água. Estas duas inovações não estão relacionadas com TI, mas foram financiadas e apoiados pela IBM por serem importantes para a humanidade. Este é o tipo de compromisso que diferencia a IBM de outras empresas.
 TI+Simples: Onde e o que temos que melhorar?
Hassan: Há sempre espaço para melhorias. Como qualquer outra empresa, os nossos recursos não são infinitos. Algumas decisões são difíceis, mas precisam ser feitas. Contratar os melhores e mais brilhantes profissionais do mundo para se juntar à IBM sempre foi um dos nossos focos, pois a inovação é feita, acima de tudo, por pessoas.
*No ranking geral a IBM ocupou o 5º lugar

Artigos Relacionados

06 jun
Grandes avanços são feitos com tecnologia. E tudo isso é Feito com IBM
Geral // 0

O que se passa na sua cabeça quando alguém diz que um Zoológico é feito com dados? Ou que um chocolate é feito com cloud? A nova campanha da IBM, que acaba de dar mais um passo na construção do seu legado, nos conta essa história. Se antes ela apresentava o que e o por quê de ser um

29 jun
Inteligência Artificial no Brasil. Isso já é real?
Geral // 2

Quando digo para as pessoas que trabalho com inteligência artificial, surge um visível ponto de interrogação em cima de suas cabeças do tipo: “Como assim? Inteligência Artificial no Brasil? Isso é uma realidade?”. Sim, é! E está presente nas áreas de trabalho de praticamente todos os que me questionam, desde bancos e cultura até saúde.

11 dez
A comunidade LGBT, a AIDS e as grandes corporações
Geral // 0

*Por Carolina Cestari 734 mil. Este é o número de pessoas com AIDS no Brasil, segundo o relatório anual do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS). Hoje, estima-se que 36,9 milhões de pessoas em todo o mundo têm o vírus. Para os que pensam que estamos falando de uma doença altamente epidêmica, saibam

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por