Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Atualmente, as redes sociais estão modificando o modo como as companhias interagem e compartilham informações. Conversamos com o executivo de Social Business e Colaboração da IBM Brasil, Sidney Sossai, para explicar como o social business tem feito parte dos investimentos das companhias, como ele está presente no dia a dia das pessoas e de que forma as empresas têm utilizado essas redes para realizar análise preditiva, com o objetivo de influenciar o consumidor e atraí-lo para o canal digital das empresas.

TI + Simples: Quais são as vantagens do social business?

Sidney: A adoção do social business é uma forma simples de interagir com colaboradores, clientes e consumidores, cruzando os limites dos negócios. Além disso, o social business permite que os mais diversos dispositivos móveis possam acessar aplicações, mantendo os negócios privados em plena segurança.
TI + Simples: De que forma o social business pode ser integrado como parte dos negócios?
Sidney: Primeiramente, devemos explicar que no ‘coração’ do social business está a rede social de trabalho de uma companhia, combinada ao conteúdo e análise e integrada em uma experiência única para o usuário. Dentro das soluções de social business temos o conteúdo, networking, integração e análises de Big Data (grande quantidade de dados), que aproveita o grande volume de dados para analisar o sentimento das redes sociais para oferecer serviços ao consumidor e, a partir deles, saber o que influenciará na experiência que estão oferecendo, seja com um novo produto ou serviço.
TI + Simples: Quais são os benefícios do SB para as companhias?
Sidney: Pesquisas da IBM indicam que com social business as empresas podem obter um aumento nos lucros, assim como um acréscimo em sua receita de vendas. Além disso, por meio da tecnologia é possível melhorar a eficiência nos departamentos, como por exemplo em recursos humanos, que poderão reduzir em custos com recrutamento e também na parte de desenvolvimento de produtos com resultados eficientes para o mercado. Os levantamentos ainda sugerem que o marketing também é uma área que se beneficia do aumento da exposição da marca no mercado.
TI + Simples: Temos casos comprovados de companhias ou instituições que conseguiram otimizar, engajar e aumentar o lucro de seus negócios a partir do social business?
Sidney: Temos diversos casos e mas alguns chamam bastante atenção, como o da Cruz Vermelha chilena. Eles adotaram o social business em substituição aos seus processos manuais com o objetivo de dobrar a capacidade tecnológica de suas operações de resposta a desastres. Com a tecnologia eles conseguiram um aumento de 100% em eficiência de respostas. Além deste, também temos um caso de sucesso com a rede de alimentos Amadori, que transformou seu processo de marketing utilizando as redes sociais para criar defensores dos clientes e impulsionar a presença com novos clientes.
TI + Simples: Na parte de atração de consumidores por meio da análise preditiva, como os executivos C-level estão utilizando as redes sociais para se beneficiarem com essa tecnologia?
Sidney: Temos dois insights principais, um com CEOs e outro com CHROs. De acordo com dados IBM, 16% dos CEOs estão utilizando as redes sociais para se conectar com os consumidores e 73% utilizarão este canal para engajar consumidores dentro de cinco anos. Já os executivos de Recursos Humanos (CHROs) utilizam as redes sociais para recrutar profissionais (66%), enquanto 42% utilizam para a comunicação dentro da corporação. A partir destes dados podemos perceber que não há somente uma utilização das ferramentas de social business e que a tendência é que os negócios sejam, cada vez mais, otimizados por meio desta plataforma.

Artigos Relacionados

08 maio
Cidades Inteligentes e conscientes?
Geral // 0

* Por Sérgio Borger   O conceito de cidade inteligente já foi bastante divulgado, e com ele surgem novas vertentes que têm como premissa tornar o planeta um lugar melhor para a humanidade viver. Uma delas, que tem sido alvo das pesquisas da minha equipe no laboratório da IBM no Brasil, é a cidade consciente

17 mar
Da teoria à prática: como os dados do Twitter podem influenciar os negócios?
Geral // 0

Estamos na década de 1990, quando a Internet no Brasil era restrita a alguns usuários que, quando estavam com sorte, conseguiam estabelecer uma conexão de no máximo 56 kbps. Isso, é claro, após esperar o relógio marcar meia noite para que se pagasse apenas um pulso para  a conexão e, assim, a conta telefônica não viesse absurdamente cara. Já nessa

07 out
Bem-vindo à nova era dos negócios cognitivos!
Geral // 1

*Por Vanessa Garcia e Mariana Lemos A Big Blue acaba de anunciar ao mundo um novo posicionamento, uma visão estratégica que inaugura uma nova era da tecnologia, a era dos Negócios Cognitivos, liderada pelo Watson. Para levar a computação cognitiva a um outro nível de conhecimento e escala, a IBM vai contar com um time

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por