Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

A epidemia do Ebola na África Ocidental está se agravando a cada dia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 9 mil pessoas já foram infectadas pela doença e o número de mortos ultrapassa 4,8 mil. A comunicação eficaz com as pessoas infectadas e a apuração de dados precisos sobre a real situação são cruciais para conter a epidemia.

Hoje, a IBM anunciou uma série de iniciativas para ajudar os governos e as agências humanitárias na África e ao redor do mundo na luta conta o Ebola. As ações estão sendo lideradas pelo Laboratório de Pesquisas da IBM na África, no Quênia, e conta ainda com o apoio da sua rede global de centros de pesquisa, incluindo o Brasil.
A principal iniciativa é a utilização de um sistema de engajamento dos cidadãos e de analytics em Serra Leoa, um dos países mais afetados pela doença, que já registra mais de 3,7 mil infectados e 1,2 mil mortos. A proposta é que a plataforma permita que as comunidades afetadas pelo Ebola comuniquem os seus problemas e preocupações diretamente ao governo local via SMS e chamada de voz.
A plataforma é capaz de identificar rapidamente as correlações e destacar as questões emergentes em todo o conjunto de mensagens, utilizando as funcionalidades da tecnologia de analytics na nuvem. Como os dados de SMS e voz possuem localização específica, a IBM vai criar heatmaps para mapeamento e visualização da situação em cada região. Esse sistema foi desenvolvido em conjunto com a Iniciativa Aberta de Governo de Serra Leoa e a operadora Airtel disponibilizou um número para que os cidadãos enviem gratuitamente as mensagens SMS.
Mais outros dois esforços da IBM unem-se a essas iniciativas: a doação da tecnologia IBM Connections para o Centro de Operações do Ebola na Nigéria para ajudar a controlar o nível de erradicação da doença e uma plataforma global de compartilhamento de dados relacionados ao Ebola.
Globalmente, os voluntários da IBM estão liderando um esforço para ajudar a identificar, registrar e classificar todas as fontes de dados em aberto relacionadas ao surto do Ebola e estão pedindo que as organizações em todo o mundo contribuam com dados. O objetivo é criar um Banco de Dados Aberto do Ebola que irá utilizar a tecnologia em nuvem da IBM SoftLayer para fornecer dados aos governos, agências humanitárias e pesquisadores.
Mais informações sobre as iniciativas aqui e nesta entrevista da pesquisadora da IBM, Saska Mojsilovic.
Veja o primeiro heatmap criado pela IBM com informações reportadas por cidadãos da cidade de Freetown, em Serra Leoa.
Clique na imagem para ampliá-la

 

Artigos Relacionados

31 jul
O Watson pode se tornar o melhor amigo do homem?
Geral // 0

Se depender dos avanços da tecnologia, sim. A relação entre os homens e os computadores será cada vez mais próxima graças à computação cognitiva, que permite que os sistemas se “tornem” cada vez mais humanos. Antes, o papel da computação era a automatização de tarefas e aumento da velocidade de transações, mas, agora, os sistemas cognitivos tornaram o computador uma peça-chave para melhorar a nossa capacidade

12 maio
Isabela: uma experiência de inteligência artificial ao vivo no maior evento de Marketing do Brasil
Geral // 1

*Texto por Vanessa Garcia e Kelly Bassi | Vídeo por Ellen Simão Depois de dois dias ouvindo os maiores experts do Brasil e do mundo da área, ficou ainda mais claro que a tecnologia se tornou sinônimo de inovação em marketing e comunicação. Só se falou nisso no ProXXIma 2016, evento organizado pelo grupo Meio

17 abr
“Uma revolução chamada CAMS”
Geral // 0

Por Rodrigo Kede, presidente da IBM Brasil Essa revolução significa que as empresas estão encarando tecnologia de uma forma diferente. Muito mais do que suporte para os negócios, como vinha acontecendo nos últimos 15 anos, o foco será investir em soluções de front office, que viabilizem novas receitas, produtos e inovação, e maior proximidade com o cliente. Os líderes

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por