Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

A epidemia do Ebola na África Ocidental está se agravando a cada dia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 9 mil pessoas já foram infectadas pela doença e o número de mortos ultrapassa 4,8 mil. A comunicação eficaz com as pessoas infectadas e a apuração de dados precisos sobre a real situação são cruciais para conter a epidemia.

Hoje, a IBM anunciou uma série de iniciativas para ajudar os governos e as agências humanitárias na África e ao redor do mundo na luta conta o Ebola. As ações estão sendo lideradas pelo Laboratório de Pesquisas da IBM na África, no Quênia, e conta ainda com o apoio da sua rede global de centros de pesquisa, incluindo o Brasil.
A principal iniciativa é a utilização de um sistema de engajamento dos cidadãos e de analytics em Serra Leoa, um dos países mais afetados pela doença, que já registra mais de 3,7 mil infectados e 1,2 mil mortos. A proposta é que a plataforma permita que as comunidades afetadas pelo Ebola comuniquem os seus problemas e preocupações diretamente ao governo local via SMS e chamada de voz.
A plataforma é capaz de identificar rapidamente as correlações e destacar as questões emergentes em todo o conjunto de mensagens, utilizando as funcionalidades da tecnologia de analytics na nuvem. Como os dados de SMS e voz possuem localização específica, a IBM vai criar heatmaps para mapeamento e visualização da situação em cada região. Esse sistema foi desenvolvido em conjunto com a Iniciativa Aberta de Governo de Serra Leoa e a operadora Airtel disponibilizou um número para que os cidadãos enviem gratuitamente as mensagens SMS.
Mais outros dois esforços da IBM unem-se a essas iniciativas: a doação da tecnologia IBM Connections para o Centro de Operações do Ebola na Nigéria para ajudar a controlar o nível de erradicação da doença e uma plataforma global de compartilhamento de dados relacionados ao Ebola.
Globalmente, os voluntários da IBM estão liderando um esforço para ajudar a identificar, registrar e classificar todas as fontes de dados em aberto relacionadas ao surto do Ebola e estão pedindo que as organizações em todo o mundo contribuam com dados. O objetivo é criar um Banco de Dados Aberto do Ebola que irá utilizar a tecnologia em nuvem da IBM SoftLayer para fornecer dados aos governos, agências humanitárias e pesquisadores.
Mais informações sobre as iniciativas aqui e nesta entrevista da pesquisadora da IBM, Saska Mojsilovic.
Veja o primeiro heatmap criado pela IBM com informações reportadas por cidadãos da cidade de Freetown, em Serra Leoa.
Clique na imagem para ampliá-la

 

Artigos Relacionados

14 set
World Community Grid: saiba como seu smartphone ou tablet pode ajudar a ciência
Geral // 0

Hoje em dia, a facilidade está na palma de nossas mãos. Conseguimos comprar, vender, estudar, ler notícias etc por meio de tablets e smartphones. Mas você sabia que a partir de agora esses aparelhos oferecem outra funcionalidade e que ainda por cima ajudam na saúde e desenvolvimento científico? É a computação voluntária! Funciona da seguinte forma: você colabora por meio do tempo

25 abr
Consumidores cada vez mais conectados e dispostos a interagir com as marcas
Geral // 0

A correria do dia a dia e a alta exigência dos consumidores somada às facilidades trazidas pelos avanços tecnológicos têm contribuído para a sociedade aderir a outros modelos de compra, que fujam da tradicional visita à loja física. O e-commerce é a tendência que tem crescido ano a ano e promete tornar-se a principal preferência

23 set
9 dicas tecnológicas para emagrecer pro verão
Geral // 0

O verão se aproxima e já começo a ver muitas matérias sobre o famigerado #projetoverão. Mil reportagens sobre como emagrecer e estar em forma para a tão esperada estação do ano. Gente, na minha humilde opinião, o verão tem de ser pra vida toda, né? Ficar de bem com o corpo, seja ele como for, tem

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por