Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Foto Reprodução EJ TV

Dr. William E.Moerner, um dos cientistas que ganharam o Prêmio Nobel da Química 2014, é um ex-IBMista. O mais curioso desta história é que ele estava no Brasil quando recebeu a notícia da conquista. Na semana passada, Moerner participou de um congresso científico na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife. As pessoas em Estocolmo não conseguiam avisá-lo, então ligaram para sua esposa que transmitiu a notícia ao cientista pelo telefone.

Junto com Eric Betzig e Stefan W. Hell, Moerner foi homenageado pelo desenvolvimento de técnicas de microscópios de alta resolução que permitem observar moléculas dentro de células vivas. As técnicas do trio são usadas em pesquisa e aplicações médicas que conseguiram, por exemplo, entender como determinadas proteínas se comportam em organismos de pessoas com doenças como Parkinson e Alzheimer.

Nascido em 1953 em Pleasanton, nos EUA, Moerner é norte-americano. Iniciou sua carreira na IBM em 1981 no Laboratório de Almaden, na Califórnia, trabalhando com armazenamento óptico e interações laser-materiais. Ele liderou uma equipe que demonstrou pela primeira vez a gravação de múltiplas imagens holográficas em um polímero fotorefrativos no final dos anos 80. Outros grandes avanços na área foram apresentados pelo cientista em 1991 e 1993. Em 1995 encerrou sua trajetória na IBM e foi para a academia. Atualmente, trabalha na Universidade de Stanford, também na Califórnia.

Este é o sexto prêmio Nobel que tem a participação de cientistas que já passaram por Laboratórios de Pesquisas da IBM. É uma honra saber que a base deste trabalho premiado começou dentro do nosso ambiente de pesquisa. Conheça mais sobre as contribuições de Moerner na IBM aqui.

Artigos Relacionados

28 out
Watson amplia os horizontes da educação no Brasil
Geral // 0

A discussão de que a tecnologia e a educação são aliadas já acontece há um bom tempo, mas nos últimos anos tenho visto iniciativas que comprovam os benefícios desta união. Agora, além de falar sobre internet, laptops e tablets em sala de aula, incluo o uso da inteligência artificial para ajudar o trabalho dos professores.

17 out
CMOs estudam amadurecimento do foco no cliente
Geral // 0

O mundo caminha para uma geração colaborativa. Todos tem a liberdade para produzir conteúdo e disseminar suas opiniões. Isso tudo pela internet! As mídias sociais transformaram as relações entre empresa e pessoas, pois viraram um palco para elogios, reclamações, inventividade e muito mais. Esse cenário traz questões pertinentes quanto ao tratamento com os clientes: não é mais possível trata-los de forma generalizada.

01 maio
Elementar, meu caro
Geral // 0

*Por Bruno Favery – Um antigo provérbio diz: se quiser ir rápido, vá sozinho. Se quiser ir longe, vá em grupo. Esta velha máxima se encaixa muito bem na lógica de raciocínio que trago nas próximas linhas e, acredite, tem tudo a ver com o futuro da tecnologia e com a era cognitiva. Se avaliarmos

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por