Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Existem atualmente quase três milhões de aplicativos nos sistemas Android, iOS e Microsoft e, em média, são feitos downloads de mais de 100 mil apps diariamente. Milhares de dispositivos conectados com a internet rodam diferentes tipos de apps com necessidades específicas; é difícil não pensar em segurança.
Muitas empresas estão se atentando a isso, porém, de acordo com um relatório publicado pela IBM, quase 40% das grandes corporações não tomam as precauções necessárias para garantir a segurança dos aplicativos que elas desenvolvem para seus clientes e também não protegem seus dispositivos móveis contra ataques cibernéticos. O estudo encomendado pela companhia ao Ponemon Institute ouviu 400 grandes empresas, sendo 40% delas membros da Fortune 500, que trabalham com grande quantidade de dados sensíveis nas áreas de finanças, saúde, farmacêutica, setor público, entretenimento e varejo.
Em média, as organizações testam menos da metade dos aplicativos desenvolvidos e 33% delas nunca os testaram, o que cria uma infinidade de pontos de acesso aos dados empresariais por meio de dispositivos inseguros.
Embora o gasto anual de cada empresa com o desenvolvimento de aplicativos móveis seja de cerca de $ 34 milhões, somente 50% delas têm recursos destinados à segurança móvel. Já para a outra metade, 5,5% do budget de aplicativos são o total destinado a garantir que eles estarão seguros antes de serem disponibilizados aos usuários. O retrato disso, conforme apontou o primeiro relatório de 2015 do time IBM X-Force, é que mais de um bilhão de registros de dados pessoais foram comprometidos em ataques virtuais durante o ano passado.
Mas os pesquisados justificam essa vulnerabilidade: para 65%, muitas vezes a segurança de seus aplicativos é colocada em risco devido à demanda do cliente ou necessidade. Por outro lado, 77% citam a pressão para a entrega como o principal motivo dos apps terem códigos vulneráveis.
Outro problema ressaltado no relatório se refere à adoção do BYOD. O levantamento mostra que a maioria dos funcionários são adeptos a apps e os baixam de fontes não confiáveis, o que deixa o telefone vulnerável a malwares. Para ter uma ideia, 55% declararam que suas empresas não têm políticas que definem o uso de aplicativos no espaço de trabalho, enquanto 67% permitem que os empregados façam o download de aplicações não controladas nos aparelhos de uso da empresa e 55% autorizam o uso e instalação de apps corporativos nos dispositivos pessoais.
Para evitar que ocorram vulnerabilidades dentro das organizações, a IBM dá a dica: proteja os dados sensíveis criando políticas que estabeleçam o uso de dispositivos móveis dentro das companhias de forma segura. Além disso, também é necessário adaptar tecnologias e ter uma equipe dedicada à proteção das informações.

 

 

Artigos Relacionados

06 jan
O que podemos esperar da tecnologia daqui a 5 anos?
Geral // 0

Vamos começar 2017 falando de futuro! Tradicionalmente, a IBM consolida em um anúncio a sua visão sobre os próximos passos da tecnologia. São cinco previsões daquilo que poderá se tornar realidade nos próximos cinco anos. Olha só que legal: nas previsões de 2013, a IBM revelou que tecnologias seriam capazes de aprender e beneficiariam diversos

12 dez
Governo do Estado de São Paulo reúne empresas que investiram cerca de R$ 6,2 bilhões e geraram 8,3 mil empregos
Geral // 0

A IBM Brasil foi homenageada pelo investimento no Laboratório de Pesquisa em São Paulo, que criou cerca de 100 novos empregos. O diretor da unidade, Ulisses Thibes Mello, representou a empresa ao receber o troféu. Para saber mais dessa edição do Prêmio Investe São Paulo, clique aqui.

15 fev
É chuva de cases que chama, né?
Geral // 2

Já falamos como a inteligência artificial é uma realidade no Brasil, mostrando casos práticos de empresas que têm usado Watson, plataforma de computação cognitiva da IBM para negócios, nas mais diferentes formas e áreas. Então, por que volto aqui? Porque trago novidades! Para a Big Blue, o mercado brasileiro de IA já é considerado um

Comentários

Fernanda Fronterotta
26 de março de 2015

Sucinto e direto ao ponto, Cada vez mais os aplicativos moveis estao sendo alvo de ataques :o/

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por