Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*Por Maria Fernanda Espinosa

Não é de hoje que o assunto BYOD preocupa companhias em todo o mundo. Explico. BYOD é a sigla que representa o termo ‘bring your own device’, ou, em português: traga/use seu próprio dispositivo. Estamos falando da prática de se utilizar dispositivos móveis pessoais – como celulares, tablets e computadores – para fins de trabalho. Isso é, sim, perigoso, mas em um mundo conectado, dominado pelas facilidades da nuvem, fica praticamente impossível barrar um profissional quando ele usa seu celular para trabalhar. Afinal, estamos evoluindo ou não estamos?

Afora polêmicas, há alguns anos as companhias discutem o lado positivo e o negativo do BYOD. Algumas já estabeleceram políticas de segurança para liberar o uso desses aparelhos para seus funcionários acessarem informações do trabalho a qualquer hora e em qualquer lugar. Nada mais natural, porque vivemos a era da mobilidade. Esta é a forma como as pessoas querem trabalhar, e graças às transformações da cloud os colaboradores podem acessar informações imediatamente em um estalar de dedos, gerando produtividade e colaboração. Um recente estudo da IBM revelou que o uso de softwares na nuvem pode aumentar a produtividade de um time em até 400%, ou seja, BYOD se torna uma ferramenta de apoio a este novo formato de trabalho.

O problema é que a partir do acesso aos aplicativos externos a empresa não consegue visualizar, gerenciar e garantir segurança nas informações que seus funcionários estão compartilhando fora da política da companhia. Observando essa mudança de comportamento das empresas e a necessidade de proteção, a Big Blue acaba de anunciar uma nova tecnologia que permitirá às organizações gerar mais segurança no acesso aos aplicativos de terceiros, baseados na nuvem. O IBM Cloud Security Enforcer é a primeira solução que combina a visibilidade dos aplicativos em cloud com um gerenciamento de identidade na nuvem. Isso é revolucionário, porque permite às organizações descobrir quais apps estão sendo acessados pelos funcionários e, ao mesmo tempo, ajuda a prover segurança no acesso e uso deles.

Confira o estudo da IBM com as principais percepções dos entrevistados sobre os apps e a segurança na cloud:

* O Portal Exame.com também cobriu o lançamento do Cloud Security Enforcer

 

Artigos Relacionados

03 jul
Lições aprendidas sobre Social Business
Geral // 0

Ontem participei do evento IBM Mobile & Social Business, no Hotel Unique, em São Paulo, que trouxe dados muito interessantes sobre duas tendências que se tornaram um grande desafio para fornecedores e usuários de tecnologia. Como são temas com uma infinidade de conteúdo para discussão, vou dedicar esse post ao Social Business que, resumidamente, pode ser considerado um ambiente

03 ago
A IBM viveu seu próprio episódio de “The Big Bang Theory”
Geral // 0

*por Mariana Lemos e Juliana Cayres Calma. Não recebemos o Sheldon Cooper nem fizemos nenhum experimento lunar a laser. Mas semana passada tivemos alguns momentos geek cool na sede da IBM em São Paulo que renderam situações e debates que poderiam facilmente ter saído de um episódio da série norte-americana. Vamos explicar melhor. Para comemorar

13 jan
20 invenções por dia colocam a IBM na liderança de patentes em 2014
Geral // 0

Em uma época em que as máquinas e o homem estabelecem um relacionamento cada vez mais próximo, ouvir sobre inovação não é só uma constante, mas uma necessidade das empresas a todo o momento. Na verdade, o conceito que parece atual já havia sido explorado pelo economista Joseph Schumpeter em seu livro Teoria do Desenvolvimento Econômico (Die Theorie

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por