Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*Por Kelly Bassi
Pois é, já faz mais de um ano que os paulistas enfrentam os efeitos da crise hídrica. A perspectiva é de pouca chuva para os próximos dois anos. E sabemos que o convívio com o problema será a longo prazo. O melhor caminho para a questão é a colaboração de todos, não só com o uso consciente da água, mas também compartilhando o que está acontecendo ao seu redor.
A IBM Brasil e o Instituto Cidade Democrática decidiram cooperar com essa questão e lançaram o aplicativo Água Viva. Desenvolvido com tecnologia brasileira do Laboratório de Pesquisas da IBM no País, a ideia é que qualquer pessoa registre no app incidentes com a água, como localização de fontes, vazamentos e falta. As informações coletadas serão analisadas e levadas ao poder público pelo Instituto Cidade Democrática em forma de propostas e sugestões de ações.
O app é gratuito e irá, inicialmente, registrar ocorrências no Estado de São Paulo. Ele já está disponível para Android e, em breve, para iOS. As informações fornecidas pelos usuários estarão disponíveis no site: www.agua-viva.org. O TI+Simples conversou com o Rodrigo Bandeira, cofundador e coordenador de mobilização do Instituto Cidade Democrática, para entender melhor os propósitos desse projeto.

TI+Simples: Por que o Cidade Democrática decidiu atuar no problema da água?
Rodrigo Bandeira: Pelo Instituto, atuamos em temas públicos de grande relevância, construindo as pontes com as soluções por meio de inteligência
coletiva. Quando a crise hídrica se apresentou, passamos a trabalhar para conhecer melhor quem estava atuando nessa questão e o que cada um estava fazendo, para desenhar um plano completo, a partir de ações da sociedade civil.
TI+Simples: Qual a expectativa com este projeto?
Rodrigo Bandeira: O aplicativo móvel Água Viva tem um grande potencial de ser usado por todos que tenham alguma informação sobre vazamento de água, mal-uso do recurso etc. e isso tem dois resultados possíveis: que o poder público possa atuar a partir de informações geradas por cidadãos e também que as pessoas possam perceber que têm o poder de influir positivamente em questões públicas.
TI+Simples: Por que a IBM foi escolhida como parceira? De que forma ela está agregando à iniciativa?
Rodrigo Bandeira: A IBM é nossa parceira há 4 anos e nosso diálogo tem nos feito conhecer melhor a realidade de cada um. Quando a oportunidade de desenvolver um aplicativo para um tema público surgiu dentro da IBM, nós fomos chamados para pensar em qual poderia ser o objetivo deste aplicativo e também para estar à frente da iniciativa. Isso fez sentido e topamos na primeira hora.
TI+Simples: Como as ideias serão levadas para o governo?
Rodrigo Bandeira: O aplicativo vai gerar um banco de dados que poderá ser utilizado por qualquer um que estiver envolvido com a questão da crise hídrica em São Paulo. Nós somos integrantes da Aliança pela Água, uma iniciativa incrível da sociedade civil que congrega os maiores especialistas e ativistas com trabalho de qualidade para construir uma agenda de superação deste desafio. Contamos com esses parceiros e estaremos sempre abertos para que outros atores sociais possam beneficiar-se desta base e das análises que ela possibilitará.
O que você achou desta iniciativa? Confira abaixo passo a passo para uso do app.

Artigos Relacionados

11 ago
Quer ser estágiário na IBM? ;)
Geral // 0

  Não é a toa que o nome do programa para estagiários chama-se Passaporte IBM. Trabalhar na gigante de tecnologia é sem dúvida uma grande oportunidade para quem deseja fazer carreira em uma empresa global e queira interagir com diferentes culturas e equipes de trabalho. Além de participar de experiências do dia a dia dos

03 dez
Aeroportos inteligentes para viagens sem estresse
Geral // 0

Todos os dias mais de 6 milhões de pessoas utilizam o avião como meio de transporte. Essa grande quantidade de passageiros indo e vindo, aviões decolando e pousando, bagagens subindo e descendo nas esteiras exigem sistemas inteligentes para dar conta de tantas informações. Com o objetivo de tornar a vida dos viajantes e dos funcionários dos aeroportos mais fácil

03 abr
A Internet das Coisas vai ser cognitiva
Geral // 0

*por Mariana Lemos – Qual a primeira “coisa conectada” que vem à sua cabeça quando você ouve o termo “internet das coisas”? Um carro? Uma geladeira? Se sim, normal. Eu sempre lembro do exemplo do carro “inteligente” que avisa quando precisa de algum reparo, ou da geladeira que manda uma mensagem quando algum produto acabou. Esses

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por