Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*Por Kelly Bassi

Montanhas de Adirondack, no Estado de Nova York (EUA). Um lago turístico de 51km de extensão. Água cristalina e riqueza em biodiversidade. Este é o Lake George, o futuro “lago mais inteligente do mundo” e a esperança para proteção de outras fontes de água doce do planeta.
A divisão de pesquisa da IBM trabalha há um ano e meio no Lake George coletando e analisando dados de sensores instalados ao redor e dentro do lago. Por meio de tecnologias de Internet das Coisas (Internet of Things), simulações computacionais e analíticos, a empresa está entendendo como proteger a água do lago do impacto de agentes externos, como microrganismos invasores, fertilizantes e sal, entre outros.
A ideia do projeto, que se chama Jefferson, é criar um modelo tecnológico que possa ser aplicado em outras fontes de água doce no planeta para protegê-las contra poluentes. O Lake George será um modelo de como a instrumentação pode trabalhar a favor do equilíbrio da natureza. Necessidades de cuidados em outras localidades não faltam. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), entre os 500 maiores rios do mundo, mais da metade enfrenta sérios problemas de poluição.
A relevância da proteção da água levou o envolvimento de 60 pesquisadores no projeto, incluindo os laboratórios de pesquisas da IBM no Brasil, na Irlanda e nos Estados Unidos, do Rensselaer Polytechnic Institute e da instituição ambiental Fund for Lake George.
O time brasileiro de pesquisa da IBM esteve envolvido na criação de um modelo matemático para identificar o volume de sal – despejado nas estradas durante o inverno para acelerar o derretimento da neve – que chega ao Lake George. Já foi possível mapear o trajeto que do sal a partir da estrada até os locais de acumulo no lago. Este aspecto é fundamental para prever os impactos a longo prazo do despejo de agentes químicos poluentes na água doce.
Entenda mais sobre o Jefferson Project neste vídeo. Depois, responda para a gente: quais oportunidades você vê para que este projeto seja replicado aqui no Brasil?
                                                          

 

Artigos Relacionados

14 out
Direto do Brasil: Ex-IBMista ganha prêmio Nobel de Química
Geral // 0

Foto Reprodução EJ TV Dr. William E.Moerner, um dos cientistas que ganharam o Prêmio Nobel da Química 2014, é um ex-IBMista. O mais curioso desta história é que ele estava no Brasil quando recebeu a notícia da conquista. Na semana passada, Moerner participou de um congresso científico na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife. As pessoas em Estocolmo não conseguiam avisá-lo, então ligaram para sua esposa que

10 mar
Parceria com a IBM desafia alunos do Insper a solucionarem problemas reais
Geral // 0

 A IBM firmou parceria com o Insper, uma das mais renomadas instituições de ensino de São Paulo, com o objetivo de participar do REP –Resolução Eficaz de Problemas, uma iniciativa inovadora no Brasil, que visa desenvolver nos alunos competências de comunicação, pensamento crítico e trabalho em equipe. Atualmente, essas características são muito demandadas pelo mercado de trabalho por serem fundamentais

29 maio
O que os provedores de telecom podem aprender com os clientes
Geral // 0

Você se recorda quantas vezes ouviu que o cliente é o foco das empresas hoje? Aqui mesmo já falamos sobre a reinvenção da experiência como consumidor. Apesar disso, um estudo conduzido pelo IBM Institute for Business Value revelou que 70% dos executivos de prestadoras de serviços de comunicações acreditam que não têm grande entendimento sobre seus usuários, o que reflete

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por