Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*Por Juliana Setembro

Toda mudança pode ser assustadora. Mas é apenas por meio dela que evoluímos. Veja a tecnologia. Ela é algo vivo e sempre possibilitou grandes transformações na sociedade. Hoje, temos os wearables, que fazem com que a TI se torne, praticamente, nossa segunda pele. Ou os smartphones, que já se transformaram em uma extensão das pessoas.
Nós somos a tecnologia, nós a moldamos e a programamos. E ela, por sua vez, nos transforma. Nós construímos a tecnologia e ela nos (re)constroi e trabalha em nosso favor em um mundo cognitivo. Mas é o ser humano quem faz a grande diferença neste processo. É o composto humano que traz o diferencial em qualquer processo de mudança. Nós fazemos acontecer. Por isso não vou falar especificamente de tecnologia no post de hoje, mas de pessoas, de colaboração e engajamento. E como estas palavrinhas mágicas, nas mãos de cada indivíduo, podem transformar comunidades, salvar vidas e levar conhecimento aos quatro cantos do mundo. Sim. Isto acontece e está acontecendo neste exato instante.
Estamos presenciando um momento sem precedentes, no qual o futuro da tecnologia e dos negócios está sendo moldado pela experiência digital, social business, computação cognitiva. A era dos Cognitive Business onde o sucesso não será mais definido pelos dados, mas por como nós podemos aprender com eles e dominá-los. Sim. Novamente falamos de pessoas. Pessoas engajadas estão rompendo as barreiras profissionais e redefinindo a forma com a qual trabalhamos e nos conectamos uns com os outros. Pessoas que fazem todo o momento valer a pena. Quer saber como? Vou contar três histórias inspiradoras aqui.
Na África, o engajamento foi capaz de conectar agricultores e possibilitou um máximo aproveitamento das atividades rurais de toda uma nação. Com ferramentas de colaboração, produtores e empreendedores rurais do Leste Africano podem agora se comunicar uns com os outros ao longo de regiões geograficamente dispersas, fechar negócios, rastrear pagamentos e descobrir novas oportunidades para aumentar a renda de pequenos agricultores que, agora, podem obter novos insights para definir suas estratégias de inventário e precificação – algo até então impossível para eles. A colaboração melhorou suas vendas e transformou a vida de milhares de pequenos negócios rurais ao longo da região.

 

O caso inspirador é o do Texas Children’s Hospital, uma instituição com mais de 60 anos de tradição, 95 mil funcionários e que atende a 2.6 milhões de pacientes todos os anos. Eles enfrentavam um grande desafio: conectar médicos, enfermeiras, administradores, parceiros e todo o ecossistema que trabalha em mais de 60 postos distintos da instituição – tudo isso 24 horas por dia. Com tecnologia de social business e com a criação de um Portal de Internet eles foram capazes de criar comunidades e grupos multidisciplinares de estudo que permitiram aproximar pacientes do corpo clínico. Possibilitou trazer um lado mais humano para os serviços prestados pela instituição de saúde. Hoje, por meio de métricas, o hospital é capaz de entender, em tempo real, sua demanda e capacidade diária de funcionamento, o que permite com que ele atenda a todos os pacientes que batem à sua porta.
E por último gostaria de compartilhar o vídeo do projeto SocialStudent, que ajudou a estudantes de duas universidades norte-americanas – a USC (University of South California) e a University of Arizona -, e uma finlandesa, Aalto University, a colaborarem entre si e trabalharem em conjunto. Com tecnologia de mobilidade e colaboração do IBM Connections os estudantes ganharam flexibilidade para trabalharem juntos, independentemente de sua localicação geográfica. Veja no vídeo abaixo o depoimento dos próprios alunos, que mostram como as capacidades de colaboração têm moldado suas carreiras e formas de pensar.

 

Quer saber mais sobre o que falamos aqui? Estes links possuem detalhes
sobre o tema e os projetos!

 

Artigos Relacionados

22 abr
Do StarTAC ao Iphone, do PC ao tablet. O lixo tecnológico não pode dominar o mundo
Geral // 0

*por Mariana Riscala – Quem aí se lembra do StarTAC?  Em 1996, era o celular do momento. Moderno, descolado… A cara da mobilidade! Isso foi há exatos 20 anos. E depois do StarTAC ainda vieram tantos outros aparelhos celulares… Se falarmos em computadores, então, a lista de “velharias” aumenta! Há 10 anos os computadores eram maiores, mais pesados

01 ago
O que aprendi sobre computação cognitiva aos 10 anos
Geral // 3

– Por Daniela Nudel – Há alguns anos queria entender por que meu pai havia decidido voltar a estudar. Poxa, eu era criança, estava há um tempão tentando acabar logo a escola e um dia meu pai chega em casa dizendo que iria voltar a estudar, como assim? Era um tal de doutorado. Ele iria dedicar noites

13 jan
20 invenções por dia colocam a IBM na liderança de patentes em 2014
Geral // 0

Em uma época em que as máquinas e o homem estabelecem um relacionamento cada vez mais próximo, ouvir sobre inovação não é só uma constante, mas uma necessidade das empresas a todo o momento. Na verdade, o conceito que parece atual já havia sido explorado pelo economista Joseph Schumpeter em seu livro Teoria do Desenvolvimento Econômico (Die Theorie

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por