Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*por Mariana Riscala –

INOVAR. Essa é a palavra da vez. Aliás, quem nunca ouviu um executivo dizer que busca inovação para sua empresa? Pois é… Ouvimos isso desde sempre. Tanto que o termo inovação parece coisa do passado. E é! Explico: no dicionário, a palavra “inovação” significa tornar novo, renovar, restaurar, introduzir novidade, fazer algo como não era feito antes. Ou seja, o segredo para inovar é avaliar o passado pensando no futuro. A grande questão é: COMO?

O desafio é sair do óbvio. Especialmente nesta era tecnológica, em que nos vemos cada vez mais dentro das cenas dos antigos “filmes do futuro”, em que se conversa com robôs. A grande diferença desses tais filmes para uma realidade não muito distante da nossa é o fato de que os robôs não vão nos passar a perna, como tantas vezes acontece em filmes (lembram-se do Skynet?). A nossa situação é justamente a oposta. A computação cognitiva veio para dar suporte ao ser humano. Neste cenário, os robozinhos – ou sistemas cognitivos – seriam verdadeiros assistentes, prontos para ajudar a ampliarmos nossa capacidade de absorver conhecimento e tomar decisões. É, o futuro está logo aí… ou aqui!

Falando nisso, vale conhecer o Pepper, o robô que possui capacidade cognitiva da IBM. Veja ele e sua performance de Gangnam Style, especificamente no minuto 5:15 do vídeo a seguir, gravado pelo Henrique Von, Líder de Mobilidade da IBM Brasil durante o InterConnect, evento global da IBM que discute tendências e futuro da tecnologia.

Lembrando que Pepper é um robô que utiliza a tecnologia da IBM para dar assistência no atendimento a clientes do Softbank, mas essa inteligência pode ser usada em qualquer plataforma que suporte um sistema, por exemplo em uma geladeira.

Voltando ao futuro, ou melhor, ao presente. Durante o evento, realizado mês passado em Las Vegas, mais de 22 mil pessoas puderam acompanhar como as tecnologias de Cloud, Mobile, Cognitive e IoT podem ser usadas para levar a inovação para dentro das empresas. De acordo com o Hvon, a mistura desses ingredientes pode resultar em uma receita deliciosa: a tomada de decisões na hora certa, o que pode mudar uma indústria para sempre.

Desses pilares citados acima, #Cloud e #ComputaçãoCognitiva se destacam como grandes aliadas na corrida pela inovação. Mas, lembre-se: para inovar, é preciso combinar tecnologia com um novo jeito de fazer negócios. Diversas empresas têm utilizado TI para melhorar a oferta de seus produtos e serviços. Até mesmo as mais tradicionais, que muitas vezes precisam mudar radicalmente seu jeito de “vender” para não perder seus clientes.

Ah, o Bluemix®, plataforma de Cloud da IBM para desenvolvimento de softwares, possui diversas ferramentas que – se combinadas – ajudam o cliente na construção de sistemas inovadores.

Bem, moral da história: a tecnologia é, sim, ferramenta para inovação, mas falar em inovar consiste em repensar as atividades que fazemos todos os dias. E nisso os robozinhos e sistemas cognitivos do futuro podem ajudar!

*Confira mais detalhes no artigo escrito pelo Hvon.

Artigos Relacionados

19 nov
Você conhece a revista “Pense”?
Geral // 0

A IBM está presente em mais de 170 países e possui mais de 430 mil funcionários em todo o mundo, ou IBMistas, como chamamos por aqui.Por ser uma empresa com presença em tantos lugares, sempre ouvimos de jornalistas, estudantes ou pessoas que acompanham a tecnologia que gostariam de conhecer um pouco mais do “mundo IBM”. O que acontece “aqui dentro”, como tudo

18 set
Conheça o iLAMpS Fund: inovação e desenvolvimento na IBM
Geral // 0

Crowdsourcing na IBM? O crowdfundig começou no Brasil cerca de três anos atrás, com o surgimento do site Catarse, inspirado no modelo americano Kickstarter. Trata-se de um portal de financiamento coletivo. Dado o sucesso deste tipo de iniciativa, hoje muitas empresas já veem implementando projetos de crowdfunding no ambiente corporativo. É o caso da IBM,

28 abr
O grande amigo que nunca tive na escola
Geral // 3

*por Bruno Favery – Quando eu era criança adorava ir à escola. Desenhar era uma das atividades que mais gostava. Lembro que muitas vezes me irritava com as professoras quando elas davam alguma atividade que não caía no meu gosto, principalmente quando tinha algo a ver com matemática. Por mim, eu ficaria desenhando, desenhando e desenhando…

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por