Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

*Por Maria Fernanda Espinosa –

Eu sou uma pessoa que perde o foco fácil. Muitos emails, prioridades, conversas paralelas, notícias e … Pá! Quando vejo já me distraí com mais uma informação relevante. Sempre me cobrei muito por esse comportamento, mas cheguei à conclusão que isso não quer dizer que sou uma má profissional. Muito pelo contrário. Esses dias li sobre uma tal de geração pipoca. Pelo que entendi, somos nós, pessoas que ‘zapeiam’ os canais até encontrar algo interessante, que leem uma notícia no tablet enquanto mandam um whatsapp para o amigo e assistem aos jogos Olímpicos pela TV.

O mais interessante é que, por incrível que pareça, eu consigo prestar atenção em tudo isso. Eu acho que o cérebro deve ter desenvolvido algum tipo de mecanismo diferente com o passar das gerações. Digo isso, pois desde criança quando trabalhava na empresa do meu pai ele sempre ficava indignado com o fato de eu ouvir música no DiscMan [é, eu tinha um lindo!] e contar as páginas de um livro ou revista. Até hoje eu preciso ouvir música para trabalhar, só assim consigo me concentrar para escrever, fazer relatórios etc. [neste momento, enquanto escrevo, estou ouvindo Don’t you forget, Cafuné].

Bem, apesar de ser uma “pipoca” na concentração sempre fui uma pessoa organizada, com agenda e tudo. Leio sempre as atividades do dia seguinte, faço e refaço a minha lista de afazeres e sempre dou aquela “ticada” quando já realizei algum dos tópicos. Penso que a produtividade tem tudo a ver com a forma como organizamos e priorizamos as nossas tarefas.

Aí te pergunto: como se tornar mais produtivo no dia a dia de trabalho? Olha só, eu me organizo de uma forma que funciona, listei abaixo, dê uma olhada:

7 dicas para ser mais criativo

Mas, e se…

– Você não se planejar?

– Não souber como dividir as tarefas?

– Não entender como solucionar problemas?

– Navega mais nas redes sociais do que foca no que realmente precisa?

Veja bem, isso não é errado. Na verdade, eu acredito que algumas pessoas criam seus próprios métodos e, de alguma forma, dá super certo! O que para mim seria o máximo é ter um programa que pudesse nos ajudar com tudo isso, desde agendar reuniões, criar atas, lembrar de atividades importantes, priorizar emails etc. Esses dias li uma matéria sobre a IBM que falava de uma parceria com a Cisco. As duas empresas se uniram para integrar a plataforma de email e colaboração da IBM, o Verse e o Connections, respectivamente, além do aplicativo de mensagens e os serviços de videoconferência da Cisco, o Cisco Spark e o Cisco WebEx.

Estes softwares integrados facilitarão tarefas rotineiras que demandam decisões, sejam elas simples ou complexas. E o Watson da IBM está super envolvido! Ele será o “carinha” responsável por analisar todos os tipos de dados – estruturados e não estruturados – para descobrir padrões no fluxo de trabalho e fornecer insights inteligentes aos profissionais por meio de interações diárias.

Com a computação cognitiva direcionando esta solução conjunta, será possível avisar uma pessoa sobre a necessidade de agendar uma reunião – já indicando as informações mais relevantes a serem discutidas. Além disso, ele é capaz de produzir automaticamente uma ata ao final do encontro e apontar, por exemplo, quais atividades devem ser priorizadas.

Quando eu li todas essas informações, a primeira coisa que pensei, foi: Ai meu Deus, eu quero! Meus dias seriam muito mais fáceis e com um assistente pessoal que conseguiria categorizar e organizar tudo o que preciso, diariamente, sem que eu precisasse dispor de muito tempo. É, gente, para quem não tem, vamos ficar ali na minha listinha mesmo e rezar para um dia com mais Watson em nossas vidas!

Artigos Relacionados

16 dez
Segurança cognitiva mais próxima do que imaginamos
Geral // 0

Há alguns meses eu falei em um post sobre como o Watson da IBM irá combater o cibercrime. Bem, a notícia se espalhou, ele se especializou e essa semana companhias do mundo todo irão testar pela primeira vez a versão Beta do Watson for Cyber Security. Ou seja, empresas de saúde, finanças, seguros e outras

22 jul
Afinal, o que é uma cidade inteligente?
Geral // 0

Quem não quer viver numa cidade inteligente? Opa, eu quero! Mas afinal, o que faz uma cidade ser considerada inteligente? Basicamente, é uma cidade que utiliza a tecnologia como aliada para resolver problemas que impactam diretamente a vida dos cidadãos. A tecnologia da informação evoluiu nas últimas décadas e hoje desempenha um papel vital na economia e na transformação da sociedade.

09 jun
O seu banco cuida da sua experiência?
Geral // 0

Quando você está próximo dos 30 anos sua cabeça e sua carteira começam a ficar mais conscientes. Ou é isso ou estamos fadados a viver de forma um pouco desconfortável na velhice. Bem, como estava me aproximando desta idade tão famosa de Balzac, fui atrás de algumas formas de investimento. Fiquei um pouco contrariada com

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por