Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

“Uma startup é uma companhia que trabalha para resolver um problema em que a solução não é óbvia e seu sucesso não é garantido” – Neil Blumenthal, CEO e cofundador da Warby Parker

Enquanto essa frase traz um resumo sucinto das chamadas empresas startups, eu prefiro dizer que elas são um estado de espírito das pessoas – seja ele empreendedor, inquieto ou inovador – que estão sempre buscando soluções e facilitando serviços nos mais diversos cenários da nossa sociedade. Estou falando de empresas que criaram e criam serviços que, hoje, nem imaginamos viver sem – vide Uber, AirBnB e Spotify. Essas companhias já nasceram dentro do modelo de inovação e atraem milhares de pessoas todos os dias. Mas e quanto às várias empresas que ainda estão começando e precisam colocar no mercado suas soluções?

É para elas que eventos como o IBM SmartCamp existem, uma competição global que teve sua etapa brasileira realizada ontem na sede da empresa, em São Paulo. A iniciativa reuniu mais de 300 pessoas nesta quinta-feira, desde as startups finalistas a investidores, professores, estudantes e mentores, oferecendo uma vasta experiência de mercado aos grupos. Nesta última edição do evento, no total, foram mais de 200 startups inscritas, que deveriam obedecer algumas normas para participar do programa e concorriam a uma vaga no Launch Festival, que acontece no Vale do Silício, e é o maior evento de startups e empreendedorismo do mundo.

O que o público presente nIMG_1222o auditório da IBM Brasil pôde acompanhar foi o pitch – termo utilizado quando alguém tenta vender a sua ideia ou modelo de negócio. De todas as inscritas, sete finalistas da etapa local estavam presentes. Cada apresentação trouxe soluções diversificadas com foco em setores como logística, educação, saúde e mercado financeiro.

“Queria lembrar que vocês ultrapassaram os limites, desafiaram o impossível”, discursava Renata Zanuto, líder de desenvolvimento de ecossistema e startups da IBM Brasil, durante a abertura do evento, ao se referir o quão árduo é o caminho trilhado por essas empresas. “Agora queremos ir com vocês para vencermos os limites do possível juntos”, completou.

A abertura foi marcada por uma interessante sinergia entre parceiros e cases de sucesso, e a Startup Farm, maior aceleradora da América Latina, deu início à apresentação, ressaltando o quanto o ecossistema de startups brasileiro ainda precisa amadurecer em comparação a outros mercados, mas que iniciativas como esta da IBM também trazem qualidade e impulsionam o cenário local.

Mas foi a apresentação de Claudio de Castro, co-fundador da One Cloud, que deixou evidente como o Smart Camp representa muito mais do que uma oportunidade de networking. Emocionado, Claudio lembrou aos convidados como foi difícil abrir sua startup e o quanto iniciativas como essa lhe abriram caminho. “Eu queria agradecer à IBM por todo o apoio que vocês nos deram lá atrás, obrigado, obrigado, obrigado”. O mineiro, que também é um ex-IBMista, começou sua empresa em 2014 com outros três sócios durante o Startup Weekend BH, evento do qual saíram vencedores. Passaram pela Startup Farm e atuam no mercado desde 2015. Hoje, sua empresa já faturou mais de um milhão de reais, tem 25 clientes no portfólio e foi adquirida pela Tivit recentemente. A receita do sucesso? Venda aquilo que você realmente acredita, finaliza o palestrante.

O próximo case de sucesso se deu com a Netshow.me, startup vencedora do Smart Camp 2014, que consiste em uma rede de streaming para criadores de conteúdo digitais, sejam eles músicos, vloggers, comediantes, ou outros criativos online para que façam transmissões ao vivo, engajem sua audiência. A rede traz um modelo de negócio inovador e garante monetização em vários formatos. “Começamos como uma empresa que poderia transmitir shows ao vivo para bandas e artistas pequenos diretamente para o seu público”, contou Daniel Arcoverde, co-fundador da plataforma. A empreitada colheu frutos de sucesso e hoje contam com nomes como Fresno e Wanessa Camargo no portfólio, sendo eleita pela Forbes como uma das principais startups de 2015.IMG_1216

Apresentações

Após os cases serem devidamente apresentados, chegou a hora que todos esperavam. Teve início o pitch de ideias e soluções para o público e jurados presentes, sendo este composto por executivos de alto nível, como Marco Poli, investidor anjo, Claudio Kawasaki, da SISCOM, Rodrigo Kede, gerente geral da IBM América Latina, entre outros.

Dr. Cuco falou sobre seu aplicativo gratuito que promove engajamento de pacientes com doenças crônicas, principalmente cardiopatas. Mesmo estando em fase de testes, pretende atuar como um assistente virtual, lembrando pacientes de seus compromissos, horários de consultas e medicamentos. A GridClass, sistema que gera horários de grades escolares, fez uma boa apresentação, mas pecou pela falta de alguns dados, como por exemplo mostrar o valor do mercado no qual está inserido, gerando um certo desconforto ao tentar responder à questão.

Intelipost fez uma das apresentações mais concisas e completas do SmartCamp. A empresa de soluções de logística posicionou muito bem sua atuação, estratégia, dados de mercado e faturamento, mostrando a experiência adquirida com um grande portfólio de clientes de organizações voltadas para o e-commerce. Seguindo a ordem, o Portal TeleMedicina apresentou bem sua proposta, na qual um software se conecta direto aos equipamentos médicos e envia, automaticamente, exames para especialistas realizarem o laudo. O interessante está na opção, já que o portal possibilita um barateamento de mais de 100% em alguns exames que o plano médico cobraria.

A startup RankMyApp mostrou um pouco de nervosismo ao falar da solução, voltada a melhorar a usabilidade e download de aplicativos dentro de App Stores, mas finalizou com uma boa defesa de ideias e conceitos aos jurados. Já a Vérios, aplicação voltada para mercado de investimentos, arrancou sorrisos ao fazer uma apresentação engraçada sobre o tema. A startup é voltada para pessoas que querem investir seu dinheiro de forma eficiente e descomplicada. A Nazar fez uma boa apresentação focada no quanto o monitoramento de acesso a uma plataforma pode beneficiar o cliente. Porém, também pecou ao não apresentar dados específicos sobre o mercado no qual estão inseridos, um dos pontos apontados pelo júri, inclusive.

Os Vencedores

IMG_1287

De todas as 300 startups inscritas, a Nazar e Intelipost foram eleitas as melhores entre as sete finalistas, e foram as que mais agradaram o júri. Agora, além da etapa virtual, as empresas recebem créditos para desenvolver suas soluções no IBM Bluemix, plataforma de desenvolvimento na nuvem da IBM, que disponibiliza mais de 150 APIs. Vale lembrar que todas as startups continuam recebendo apoio e mentoria da própria IBM, que indicam os melhores caminhos e fortalecem o networking do ecossistema em questão.

A equipe do TI+Simples parabeniza todas as startups finalistas e deseja boa sorte a Nazar e Intellipost nas próximas etapas!

*Texto Marcelo Costa / Vídeo Bruno Favery

Artigos Relacionados

29 dez
Inteligência artificial embarca nos carros
Geral // 0

Nos últimos tempos, a GM e a BMW anunciaram que estão trabalhando com a IBM em projetos de inteligência artificial. A GM vai incluir o Watson em seu assistente pessoal OneStar para construir uma nova plataforma de mobilidade cognitiva, o OneStar Go, que terá o intuito de melhorar a experiência de condução de veículos. Já

24 abr
IBM cria biblioteca para combater crimes digitais
Geral // 1

Atualmente, 80% dos cyberataques são dirigidos pelo crime organizado. Esses especialistas compartilham dados, ferramentas e conhecimento de forma extensiva. O mercado já reconheceu que para lidar com essas ‘investidas’ é preciso inteligência e compartilhamento. Entretanto, 65% dos times de segurança dentro das organizações vêm multiplicando suas fontes de confiança para lutar contra diversas formas de ataques. Com o objetivo de

08 maio
Cidades Inteligentes e conscientes?
Geral // 0

* Por Sérgio Borger   O conceito de cidade inteligente já foi bastante divulgado, e com ele surgem novas vertentes que têm como premissa tornar o planeta um lugar melhor para a humanidade viver. Uma delas, que tem sido alvo das pesquisas da minha equipe no laboratório da IBM no Brasil, é a cidade consciente

Comentários

Socrates Bento
28 de novembro de 2016

Muito agradecido a ibm pela oportunidade, foi um dia super produtivo e divertido, onde lançamos nossa idéias e podemos interagir com o rh da empresa, como dizem ” o dia que dormi na ibm” rsrs abraços…

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por