Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Que Tony Stark é um gênio da ciência e da tecnologia todo mundo que tenha assistido os filmes do “Homem de Ferro”, da Marvel, já sabe. Mas a pergunta que não quer calar é: conseguiria ele fazer todas as suas façanhas e criar seus mirabolantes inventos sem o seu fiel assistente J.A.R.V.I.S?

Bom, quem sou eu para duvidar de um super-herói, mas creio que a vida de Tony Stark seria bem mais difícil. J.A.R.V.I.S é peça fundamental nas tramas contadas nos filmes e é um perfeito exemplo para demonstrar o que é a computação cognitiva. O “mordomo” do protagonista é um sistema inteligente de análise de dados que incorpora a inteligência artificial.

É corriqueiro ver J.A.R.V.I.S alertando sobre as funcionalidades dos trajes do herói, assim como lembrar de seus compromissos, servir como buscador para informações precisas, criar cenários e hipóteses, além de aprender com as experiências de Stark, fazer deduções e inclusive sugestões. Ou seja, ele é a representação ficcional do que é o Watson e do que ele é capaz.

iron-man-hologram-interfaceA computação cognitiva e a inteligência artificial são realmente o assunto do momento dentro do universo da tecnologia. De um tempo para cá temos nos dedicado a abordar o assunto por sua relevância atual e também pelo impacto que essa tecnologia seguramente irá gerar em toda nossa sociedade nos próximos anos.

Imagine você, uma empresa, corporação ou governo incorporando esse tipo de tecnologia no seu dia a dia? Auxiliando a resolver problemas, gerar insights, prognósticos, relatórios, tudo isso numa velocidade e capacidade de acerto que certamente nenhum ser humano seria capaz. É como ver aquela projeção de futuro pitoresco se tornando realidade.

Escrevendo tudo isso fico imaginando o quão legal não seria a dupla dinâmica Watson e J.A.R.V.I.S. Aí sim os vilões tremeriam na base.

– Por Bruno Favery –

Artigos Relacionados

23 set
A Big Blue deixou o BYOD seguro com solução que monitora apps
Geral // 0

*Por Maria Fernanda Espinosa Não é de hoje que o assunto BYOD preocupa companhias em todo o mundo. Explico. BYOD é a sigla que representa o termo ‘bring your own device’, ou, em português: traga/use seu próprio dispositivo. Estamos falando da prática de se utilizar dispositivos móveis pessoais – como celulares, tablets e computadores – para fins de trabalho. Isso

09 set
Aprendi que falar sobre inteligência artificial significa olhar para as pessoas
Geral // 2

* Texto: Kelly Bassi / vídeo: Bruno Favery / fotos: Daniel Angeli – Já tratamos aqui no blog do tema inteligência artificial sob diversas facetas, como seu uso em bancos, na saúde, na educação, na culinária e em mais um monte de coisas bacanas que sabemos que estão rolando por aí. No entanto, o que

15 out
#HACKATRUCK: o caminhão que carrega uma sala de aula para ensinar programação em todo o país
Geral // 0

*por Mariana Lemos Em meados de 1970, a IBM criou um caminhão que rodou o Brasil levando a seguinte mensagem a profissionais de tecnologia: apostem em programação de softwares. Nessa época, a Big Blue vendia para o mercado o ‘Sistema 3’, um computador que facilitava registros de informações e aplicações de pequenas empresas. O grande

Comentários

weslley
28 de dezembro de 2016

com certeza incrível, curso engenharia de controle e automação e sou apaixonado por tecnologia sempre imaginei um sistema que pudesse auxiliar em seu dia a dia, mais do que aplicativos um sistema que integrasse situações corriqueiras como, em um cruzamento uma voz dentro do veiculo avisasse que a um outro carro em alta velocidade e que pudesse ate evitar um acidente parando ou reduzindo a velocidade dos veículos, ou um sistema autônomo de segurança ao perceber situações perigosas de assalto,sequestros isso com certeza traria muitas soluções para crimes não resolvidos ou desaparecimentos. quem sabe um dia o mundo possa ser melhor com a ajuda da tecnologia.

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por