Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Há alguns meses eu falei em um post sobre como o Watson da IBM irá combater o cibercrime. Bem, a notícia se espalhou, ele se especializou e essa semana companhias do mundo todo irão testar pela primeira vez a versão Beta do Watson for Cyber Security. Ou seja, empresas de saúde, finanças, seguros e outras tantas, vão experimentar a segurança cognitiva em seus negócios.

O mercado já está se preparando para essa revolução. Não é de hoje que executivos apontam suas necessidades para um sistema de segurança mais ágil e eficaz, já que cada vez mais são descobertos novos métodos de brechas e violações. Só lembrando aqui, o prejuízo das empresas no Brasil com violação de dados passou de R$ 3.96 milhões para R$ 4.31 milhões. E o número de dados roubados este ano subiu de 3.900 para 85.400.

A novidade agora é que o Watson ajudará analistas de segurança da informação do mundo a localizarem e estudarem novas ameaças. Além disso, as empresas que o utilizarem poderão compartilhar todos esses dados na biblioteca digital da IBM, o IBM X-Force Exchange.

A segurança cognitiva já é esperada

Como eu disse, lutar contra o cibercrime significa mais do que reduzir custos de violação de dados. Tem a ver com a reputação da organização e os ativos sensíveis que ela perde. Toda a informação perdida talvez nunca será resgatada… imagine isso para um hospital, por exemplo? Catastrófico!

Por isso, muitos executivos já estão vendo a importância de blindar ainda mais suas equipes e a computação cognitiva é uma das grandes propostas. Analisar incontáveis números de dados em minutos – coisa que levariam horas – é um diferencial para qualquer time de segurança. O analista terá o poder de decidir com dados fundados, vindo de artigos e fontes confiáveis do mundo todo.

Na semana passada, a IBM fez um levantamento com alguns executivos e descobriu que eles estão mais preparados do que imaginamos, dá uma olhada:

seguranca cognitiva_infografico estudo 1

Os dados não costumam mentir – pelo menos que eu saiba – e parece que todos estão prontos para essa nova era. Agora é pegar esse bonde ou ser invadido… qual a sua escolha?

*Por Maria Fernanda Espinosa

Artigos Relacionados

09 nov
IBM é a empresa de tecnologia mais inovadora
Geral // 0

Fomos reconhecidos, nesta semana, como uma das empresas mais inovadoras do Brasil, de acordo com um estudo feito pela A.T. Kearney e publicado pela revista Época Negócios. Além disso, ganhamos destaque na categoria “Estrutura e Suporte”, que avalia como a empresa monitora o sucesso da inovação e quais são as ferramentas de gestão utilizadas. Ficamos no TOP 10 – 6º lugar

15 mar
Saindo do Armário – LGBT TECH
Geral // 1

Sair do armário é libertador. Não, não falo por experiência própria, pois nasci heterossexual e não precisei lutar pela liberdade de gostar de quem eu quisesse. Nem mesmo tive problemas em me identificar como mulher… e por apenas essas duas características já tive algumas facilidades que, infelizmente, muitos não têm. Não são todos que conseguem

06 fev
“Eu gosto do impossível porque lá tem menos concorrência”
Geral // 0

Rodrigo Kede, presidente da IBM Brasil Essa frase do Walt Disney é a preferida do Rodrigo Kede e reflete muito do perfil do presidente da IBM. Em entrevista ao portal Na Prática, no dia 30 de janeiro, Kede, o executivo mais jovem a assumir o posto de presidente da IBM Brasil, revelou um pouco mais sobre sua trajetória

Comentários

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por