Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Era uma noite de 14 de fevereiro de 2011. O famoso programa de perguntas e respostas de TV norte-americano Jeopardy! contava com uma surpresa para o episódio. Dois dos maiores vencedores da história do quiz iriam competir com o Watson, a plataforma de computação cognitiva apresentada ao mundo pela IBM. O embate durou três episódios e sagrou a “máquina” vitoriosa.

Agora vamos pular rapidamente no tempo e aterrizar na tarde deste último domingo, 16 de abril de 2017. Teatro Guararapes, em Olinda, Pernambuco, lotado. O público, em sua maioria fãs de cultura pop, ansiava pelo resultado do Concurso de Cosplay da Comic Con Experience Tour Nordeste. “Olá, meu nome é Isabela, e estou aqui para auxiliar os jurados a escolher o vencedor do concurso de cosplay”, afirmava a versão feminina do Watson no telão. O público foi ao delírio.

comic-con-experience-brasil-capa1

A computação cognitiva é uma realidade, e mesmo parecendo uma história fruto da ficção científica, ela está mais próxima de nós a cada dia. Depois de atuar em frentes como saúde, educação, direito e ser uma poderosa ferramenta auxiliar em pesquisas, projetos e apontar inovações para diversas indústrias, a plataforma de inteligência artificial da IBM dessa vez levou todo seu potencial para um novo público, o de feiras geek e nerd.

A popular Comic Con Experience, realizada anualmente todo fim de ano em São Paulo, ganhou uma edição a parte no Nordeste e levou diversas atrações para o Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife, durante quatro dias na semana passada. O evento apresentou novidades de Star Wars, Guardiões da Galáxia 2, Punho de Ferro, Maurício de Sousa, a presença ilustre de Carlos Villagrán (O Kiko, do seriado Chaves), ao cantor-símbolo do Ceará Falcão, assim como quadrinistas e cosplayers famosos.

Além do melhor da cultura pop, a CCXP é uma celebração da diversidade. E como dito em um post do Omelete: “todas as pessoas são bem-vindas e incentivadas, sem preconceitos, a ser quem são – ou quem desejam ser”. E quem melhor para representar essa diversidade que um sistema de computação cognitivo, compartilhando sua opinião sobre as fantasias dos finalistas do Concurso de Cosplay do evento.

Ao total, eram nove participantes. As fantasias eram extremamente inventivas como a do Big Daddy (de BioShock), que trazia uma britadeira real na mão direita, à ninja Jade (de Mortal Kombat), com um bastão de luz roxa igual ao do game. Enquanto juízes reais examinava o tempo de produção da fantasia, detalhes e material utilizado, o Watson avaliava a fidelidade de cada cosplayer.

Para cumprir a missão, o Watson foi ensinado pelos especialistas da IBM sobre o universo pop e geek, que utilizaram API Visual Recognition, capaz de analisar e compreender imagens e assim o Watson teve acesso a cerca de 50 fotografias de cada personagem para poder realizar o comparativo entre os competidores e gerar uma nota para cada um. Ao final, a nota era acrescida ao score dos juízes.

whatsapp-image-2017-04-16-at-6.59.28-pm-3-O melhor não foi apenas acompanhar o processo do zero, como a coleta de imagens, ou comparecer em Recife e conhecer um público tão apaixonado, levar a tecnologia Watson para o público e cosplayers, alinhar diversos detalhes da apresentação no fim da noite, ou a emoção de acompanhar a apresentação ao vivo, com a interação do sistema ao vivo com o apresentador Luciano Amaral (o Lucas Silva e Silva), mas foi a sensação de missão cumprida. Levamos uma plataforma que aproxima, traz alegria e ajuda pessoas. Desta vez em um grande evento de cultura pop, mas quem sabe o que transformaremos no futuro?! A verdade é que pensamos primeiro mais uma vez!

Parabéns a todos os (esforçados) IBMistas que tornaram o projeto uma realidade! Como diria o próprio pessoal da CCXP: viva o épico!

* Por Marcelo Costa

Artigos Relacionados

10 jan
E o Watson ganha o mundo
Watson // 0

Esta semana, a IBM deu um passo importante para tornar tecnologias cognitivas acessíveis a empresas de todo o mundo. A Big Blue investiu 1 bilhão de dólares para criar uma unidade de negócios independente para o Watson, o supercomputador desenvolvido por pesquisadores da IBM que ficou conhecido quando venceu os jogadores no programa de TV

09 jun
Bradesco vai ensinar o Watson a falar português
Geral // 1

*Por Kelly Bassi Vira e mexe falamos aqui no TI+Simples do Watson, sistema de computação cognitiva desenvolvido pela IBM em 2011. Desde que venceu os principais competidores no Jeopardy!, programa de TV febre nos Estados Unidos, Watson ganhou novas missões: já criou um livro com receitas inéditas, está ajudando a vários hospitais a tratar pacientes com câncer e a empresas

05 out
O dia em que o Chef Watson transformou alho poró em sobremesa
Geral // 3

*Por Kelly Bassi Minha curiosidade foi nas alturas quando fiquei sabendo que os estudantes de Gastronomia da Universidade Anhanguera de São Paulo usariam o aplicativo Chef Watson para criar receitas inéditas e que fariam parte de um concurso de culinária da faculdade. Para quem não lembra, o app, desenvolvido pela IBM, utiliza a computação cognitiva para dar recomendações culinárias.

Comentários

SOL
27 de abril de 2017

Muito bom

Fabricio Grisolia Torres
28 de abril de 2017

excelente iniciativa alimentando esse publico tecnologico, criativo e muito inteligente

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por