Pick a color

Boxed/Wide

Boxed
Wide

Content width

1200
1040
960

Select headings font

Background (Boxed)

Quando digo para as pessoas que trabalho com inteligência artificial, surge um visível ponto de interrogação em cima de suas cabeças do tipo: “Como assim? Inteligência Artificial no Brasil? Isso é uma realidade?”. Sim, é! E está presente nas áreas de trabalho de praticamente todos os que me questionam, desde bancos e cultura até saúde. Consigo citar exemplos reais de projetos brasileiros em que a IBM atua com essa tecnologia.

Primeiro, é bom esclarecer que o Watson é a plataforma de inteligência artificial da IBM para negócios, e não um supercomputador. Ele funciona 100% na nuvem e é o coração dos sistemas cognitivos das empresas. O Watson pode ser usado em companhias de todos os segmentos e portes, como Saúde, Educação, Bancos, Agricultura, Cultura, entre outras. Já está em dezenas de startups e empresas no Brasil e qualquer organização e desenvolvedor pode ter acesso ao Watson por meio da plataforma de serviços na nuvem IBM Bluemix.

Exemplos? Sim, existem muitos! Aí vão:

imagem cases watson

Mais de 80 mil desenvolvedores no mundo já estão utilizando serviços do Watson na nuvem e 500 startups construíram aplicações com uso dessas soluções. Aqui no Brasil temos a Meeka, a assistente virtual do Mecasei, que organiza informações e ajuda os noivos a planejarem o casamento; e o Dr Cuco que lembra os usuários do horário para medicamentos, informações de apoio relacionado à doença sendo tratada, entre outras. Além disso, a IBM oferece programas de parceria com startups a fim de que a inteligência artificial esteja cada vez mais acessível.

Via Varejo criou um assistente virtual que usa a inteligência cognitiva do Watson para ajudar o cliente a escolher a melhor opção de celular conforme o perfil de uso. O assistente está disponível nos sites e apps das Casas Bahia e Pontofrio.

Têm muitos outros assistentes interessantes com Watson sendo usados. Um exemplo é o aplicativo Digaê, que responde para gestores públicos da Bahia sobre projetos em suas áreas de atuação. Outro é o da construtora MRV Engenharia, que informa o status de construções e interage com clientes em linguagem natural sobre o processo de acompanhamento da obra.

No setor bancário, a BIA, do Bradesco, foi criada em 2015 e funciona como uma central de atendimento interna respondendo mais de 10 mil perguntas por dia a 65 mil funcionários. Já o app do Banco do Brasil ajuda a realizar transações financeiras e fornece informações gerais. Esse assistente utiliza a tecnologia IBM Watson para interpretar o que o usuário está buscando e localizar o serviço desejado.

No universo agro, o Watson tem ajudado na direção autônoma de tratores; no monitoramento e controle do volume dos grãos armazenados nos silos da Arroz Urbano e no gerenciamento agrícola.

Estudos estimam que a informação médica do mundo irá dobrar a cada 73 dias a partir de 2020, tornando quase impossível que qualquer profissional do setor se mantenha atualizado sem o auxílio da plataforma cognitiva.

Baseado nisso, recentemente, o Hospital do Câncer Mãe de Deus foi o primeiro da América do Sul a utilizar inteligência artificial como integrante tecnológica para identificar opções de tratamento para pacientes com câncer. A instituição conta com o Watson for Oncology, solução que fornece aos médicos alternativas baseadas em evidências científicas mundiais e aponta tratamentos individualizados e orientados ao perfil de cada paciente diagnosticado com câncer. A solução colaborativa possui mais de 15 milhões de conteúdos científicos, incluindo cerca de 200 textos médicos e 300 artigos. Atualmente, cerca de 50 mil trabalhos de pesquisas oncológicas são publicados por ano.

A IBM já investiu mais de US$4 bilhões em aquisições e parcerias para aprimorar as habilidades do Watson em saúde. Ainda no segmento de pesquisa oncológica, Fleury Medicina e Saúde e a IBM estão trabalhando juntas com Watson for Genomics no Brasil. Essa solução possibilita que médicos possam identificar medicamentos e ensaios clínicos relevantes com base em alterações genômicas de um indivíduo e dados extraídos da literatura médica. O sistema utiliza pesquisas, estudos clínicos e artigos científicos e fornece aos oncologistas um conhecimento combinado das instituições de câncer mais importantes do mundo.

Já o Watson for Drug Discovery auxilia cientistas a identificarem relações entre genes, proteínas e medicamentos relacionados às doenças em estudo, agilizando o processo de novas descobertas científicas. Com uso dessa plataforma, a TheraSkin apresenta soluções cada vez mais eficientes, inovadoras e capazes de atender os anseios da comunidade médica e seus consumidores.

O Watson também está na cultura. Na Pinacoteca de São Paulo, ele responde aos frequentadores mais de 40 mil perguntas sobre sete obras de arte brasileira. Mas como ele sabe de todas essas informações? Esse é um sistema que aprende em larga escala, raciocina de acordo com propósitos e interage com os humanos de forma natural. Segundo a Pinacoteca, a interação digital fez com que as visitas aumentassem 25 % nos dois primeiros meses de projeto.

Recentemente, o Itaú Cultural estreou o “Café com os Santiagos”, um projeto que recria, por meio de recursos de inteligência artificial, uma conversa entre o público da exposição e os três principais personagens do livro Dom Casmurro, de Machado de Assis. Cada questionamento é respondido usando trechos de diálogos da obra projetados na mesa usando recursos de animação.

A evolução da computação cognitiva caminha na direção de se aproximar cada vez mais da forma que os humanos se comunicam entre si e desenvolver “sentidos” que ampliem sua capacidade de compreender o ambiente a sua volta, como visão, olfato, audição, tato, etc. Isso tudo já acontece por meio de sensores.

Viram? A Inteligência Artificial está mais perto de nós do que imaginamos. Nos links do texto você pode ter acesso às informações mais completas sobre os cases e se tiver curiosidade de testar a tecnologia em suas aplicações, o Watson pode ser acessado gratuitamente por 30 dias na plataforma de serviços IBM Bluemix.

* Por Larissa Garcia

Artigos Relacionados

17 jan
Por que a infraestrutura de TI é tão importante?
Geral // 0

Quem acompanha nosso blog sabe que falamos pouquíssimo de produtos. Hoje vamos quebrar um pouco esse protocolo para compartilhar aqui o último lançamento feito pela área de hardware da IBM, que vêm com a proposta de ajudar as empresas a entrar, de vez, no universo da computação em nuvem e análise de dados. Não importa se é uma pequena, média

22 jul
Afinal, o que é uma cidade inteligente?
Geral // 0

Quem não quer viver numa cidade inteligente? Opa, eu quero! Mas afinal, o que faz uma cidade ser considerada inteligente? Basicamente, é uma cidade que utiliza a tecnologia como aliada para resolver problemas que impactam diretamente a vida dos cidadãos. A tecnologia da informação evoluiu nas últimas décadas e hoje desempenha um papel vital na economia e na transformação da sociedade.

07 nov
Carro do futuro: das telas do cinema para as ruas
Geral // 0

Quem já assistiu “Eu, robô” e se imaginou dentro do carro pilotado pelo detetive Del Spooner, interpretado pelo ator Will Smith? O que antes era somente projetado no cinema, hoje está sendo fabricado com muitas aplicabilidades, preparado para uma “ultraconexão” em rotas na cidade. Muitos veículos com sistema de navegação, conexão de voice mail e telefone e reconhecimento de deslocamento já estão

Comentários

Luiz Cláudio C. Pedro
5 de julho de 2017

Muito bom artigo sobre o Watson, agora, para eu saber mais sobre o Watson, podem me informar onde eu acho? Videos, manual, livros etc…, muito obrigado.

timaissimples
14 de julho de 2017

Olá, Luiz Cláudio,
Obrigado pelo comentário. Para mais informações sobre o Watson você pode acessar o site da IBM Brasil (www.ibm.com). Além disso, você pode conferir também outras reportagens que abordam o Watson aqui no nosso blog e no nosso canal no Youtube.

Deixe aqui seu comentário

nitromidia.com Desenvolvido por